Bandido suspeito de matar guitarrista é morto no Rio

Um dos criminosos suspeitos de assassinar, no domingo, o guitarrista da banda de rock Detonautas, Rodrigo Netto, de 29 anos, morreu e outro ficou ferido em um confronto com policiais militares durante perseguição hoje pela manhã, em Benfica, zona norte do Rio. A ação começou depois que pelo menos cinco bandidos num Audi A3 preto - o mesmo usado na fuga pelos traficantes após a tentativa de assalto ao músico - interceptaram uma caminhonete Pajero de uma médica da Marinha, às 6 horas, na Avenida Radial Oeste, perto do Morro da Mangueira, de onde saíram.Policiais militares do 6.º Batalhão (Tijuca), que faziam patrulhamento na área, perceberam o roubo e seguiram os quatro ocupantes da Pajero. Houve troca de tiros. Um criminoso que dirigia o carro roubado perdeu a direção, bateu em outra Pajero e depois colidiu com um caminhão. Após o acidente, dois traficantes conseguiram fugir a pé e outros dois foram baleados. "Eles escaparam em meio à multidão. Não dava para a gente disparar, pois a Rua São Luiz Gonzaga estava muito movimentada", contou o soldado Cláudio Conde, do 6.º batalhão, que participou da perseguição. "No momento da troca de tiros, muitas pessoas correram ou se jogaram no chão". Bandido, conhecido como Ratinho, morreu na horaA polícia encontrou na Pajero uma pistola, um revólver, uma granada defensiva e munições. No mesmo instante do confronto em Benfica, pelo menos dois bandidos que fugiram no Audi bateram com o carro num poste, a caminho da Mangueira, mas não se feriram e fugiram. O criminoso identificado como Ratinho, que estava dirigindo a Pajero, foi ferido e morreu na hora. Seu comparsa, Thiago da Costa Garcia, o TH, de 20 anos, foi atingido de raspão na cabeça e no braço e levado para o Hospital do Andaraí, zona norte da capital, onde permanece internado, sob custódia da polícia. Mais tarde, às 8 horas, policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) fizeram operação na favela para prender os traficantes que abandonaram o Audi. Não houve confronto. Dois helicópteros da Polícia Militar sobrevoaram o morro. Foram recuperados seis carros e três motos. O guitarrista da banda Detonautas morreu na noite de domingo, durante uma tentativa de assalto no bairro do Rocha, zona norte do Rio. Nettinho dirigia o seu carro Astra, quando outro automóvel do mesmo tipo emparelhou com o dele. Assustado, Nettinho acelerou e foi atingido com um tiro na região da axila esquerda, que atravessou o peito. O irmão dele, Rafael Netto, que viajava no banco do carona, também foi ferido. Uma bala atravessou o peito dele e perfurou o pulmão. Outra está alojada no ombro. O jovem foi submetido a uma drenagem pulmonar no Hospital do Andaraí e transferido de madrugada para o Hospital São Lucas, em Copacabana. Uma equipe de cirurgia torácica acompanha Rafael. Por enquanto, a bala não será extraída. Ele está lúcido e respira com auxílio de aparelhos. O estado de saúde dele é estável. A avó dos dois, Maria da Silva Netto, de 87 anos, estava no banco de trás, mas nada sofreu.Vocalista discursa em enterro de Nettinho; fãs cantam e rezamCerca de 500 pessoas acompanharam o enterro do corpo do guitarrista, Rodrigo Netto, às 16 horas desta segunda-feira, no Cemitério São João Batista, em Botafogo, zona sul do Rio. O vocalista da banda, Tito Santa Cruz, subiu na sepultura com uma bandeira do Brasil e fez um discurso. "Aqui está mais um cidadão do bem, um brasileiro que vai embora por conta dos corruptos que roubam dinheiro da gente lá em Brasília. A responsabilidade também é nossa. Na hora de votar, é preciso escolher com responsabilidade. Era uma pessoa iluminada, que não tinha preconceitos. Esqueceram o amor, onde está o amor?" Pouco antes do enterro, o guitarrista do Detonautas, Renato Rocha, chegou ao Cemitério São João Batista. Muito emocionado, ele lembrou do companheiro de banda como uma pessoa alegre. "Era um cara que eu considerava como irmão. Todos nós éramos irmãos. A gente não consegue lembrar de nada triste em relação a ele. Só lembro dele rindo, com felicidade. Acho que ele gostaria também de ver isso na gente. Nossa intenção é fazer música em homenagem a ele, usando a força que ele sempre passou para nós", disse Rocha. A namorada de Rodrigo Netto, Alyne Rosa, vocalista da banda Cheiro de Amor, também chegou pouco antes do enterro, mas se recusou a falar com a imprensa. O vocalista da banda, Tico Santa Cruz, não deve comparecer ao enterro por estar muito abalado com o assassinado de Netto. Segundo a assessoria de imprensa do grupo, Nettinho não foi a primeira vítima de violência na banda. Rocha já teve um carro roubado e o DJ Cleston Oliveira sofreu um assalto quando chegava em sua casa, na Ilha do Governador. Depois disso, ele se mudou com a família para Araruama, na Região dos Lagos.Após o enterro de Nettinho, os fãs cercaram a sepultura, cantaram músicas do grupo e rezaram o "Pai-Nosso".Guitarrista morre ao ser atingido por um tiroO guitarrista da banda de rock Detonautas, Rodrigo Silva Netto, o Nettinho, de 29 anos, morreu neste domingo atingido por um tiro durante uma tentativa de assalto no bairro do Rocha, zona norte do Rio. Nettinho dirigia o seu carro Astra quando outro automóvel do mesmo tipo emparelhou com o dele. Segundo informações do 3º Batalhão da Polícia Militar (Méier), o veículo dos assaltantes tinha quatro ocupantes. Assustado, Nettinho tentou fugir dos criminosos, que começaram a disparar.Nettinho passou pela Avenida Marechal Rondon, onde foi morto, justamente para fugir da violência. Ele voltava de uma festa na casa da tia-avó em Cascadura, na zona norte, e deveria passar pela Linha Amarela, mas mudou o trajeto para evitar as falsas blitz e confrontos que se tornaram comuns na via expressa.O guitarrista foi atingido com um tiro na região da axila esquerda, que atravessou o peito. Ele morreu na hora. Seu irmão Rafael, que viajava no banco do carona, foi baleado no ombro e levado para o Hospital Geral do Andaraí, mas não corre risco de morte. A avó dos dois, Maria da Silva Netto, de 87 anos, estava no banco de trás e nada sofreu. "Ele ia voltar pela Linha Amarela, mas desistiu na última hora por medo da violência. E aconteceu naquela avenida do Méier. Não tem para onde correr. Ele estava na hora errada, no lugar errado, reagiu e aí aconteceu", desabafou Mauro Perez, de 26 anos, irmão de Rodrigo, que foi enterrado ao lado da mãe, que morreu de câncer de mama quando o guitarrista tinha 7 anos. Os DetonautasA banda carrega a marca da "geração computador". Formada por internautas, reúne integrantes de distintos Estados do País e começou despretensiosamente, numa sala de bate-papo, quando o vocalista Tico Santa Cruz perguntou a companheiros de navegação quem sabia tocar algum instrumento. E o nome do grupo é uma referência clara a essa origem; segundo seus integrantes, é uma mistura das palavras "detonadores" e "internautas".Além de Nettinho, a banda é formada por Tico Santa Cruz (vocal), Renato Rocha (guitarra), Tchello (baixo), Fábio Brasil (bateria) e o DJ Cleston (pickups e percussão). Sucesso entre o público jovem, o grupo tem três discos lançados comercialmente: Detonautas Roque Clube (2002), Roque Marciano (2004) e o recém-lançado Psicodeliamor&distorção. Tiveram discos produzidos por Fernando Magalhães, do Barão Vermelho, contaram com a forcinha de amigos, como Gabriel O Pensador, e abriram em 2002 o show de Red Hot Chili Peppers no Brasil. Tudo contribuiu para que a banda ficasse conhecida e colecionasse sucessos radiofônicos, como Quando o Sol se For e Outro Lugar.Também compositor do grupo, Nettinho era o bem-humorado, o apaziguador. ?Sou amigo do Tico e acabei conhecendo os outros. Nesse tempo, eles evoluíram muito?, disse o rapper Gabriel O Pensador. ?Sinto raiva pela injustiça que fizeram a um cara que não fez mal a ninguém. Está se perdendo a noção de valor à vida.?Com o segundo álbum, os Detonautas ultrapassaram a marca do Disco de Ouro. Além disso, contam com uma séria de feitos que refletem o sucesso alcançado nos últimos anos. Em 2001, ganharam o prêmio revelação num festival de rock no Rio Grande do Norte e em 2003, tiveram o primeiro grande sucesso: Quando o sol se for, tema de uma novela da TV Globo.Matéria alterada às 21h46

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.