Banda Whitesnake carrega mito com leveza

'Amo todos os meus fãs. Não importa se são do hardcore ou senhoras de meia-idade', diz David Coverdale

Jotabê Medeiros, de O Estado de S. Paulo,

07 de maio de 2008 | 18h05

Formada em 1978 em Yorkshire, Inglaterra, o Whitesnake foi carimbado pela crítica, no seu início, como um derivado do Led Zeppelin. O próprio Robert Plant, vocalista do Led, uma vez desdenhou do Whitesnake, chamando seu loiro vocalista, David Coverdale, de "David Coverversion".  Veja também:Ouça 'Got What You Need', do Whitesnake   Mas o tempo passou, Coverdale conseguiu dar um drible na desconfiança geral e sua banda entrou para a história como um respeitado ato de hard rock - ele chegou mesmo a gravar com o guitarrista do Led Zeppelin, Jimmy Page. Jon Lord, Ian Paice, Rudy Sarzo, Steve Vai, Don Airey: é longa e impressionante a lista dos caras que já tocaram com Coverdale. Coverdale também integrou o Deep Purple entre 1973 e 1976, gravou discos-solo e formou uma banda própria. Mas está de volta ao Brasil com a banda que o projetou, o Whitesnake, para um show ultraconcorrido na sexta-feira, 9, (os ingressos já estão esgotados desde 15 de abril). Coverdale conversou com a reportagem do Estado por e-mail, na semana passada. Foto: Divulgação Good To Be Bad é seu 11.º disco de estúdio e o primeiro em uma década. Vocês agora são um tipo de rock clássico na corrente do hard rock melódico. Você acredita que essa nova coleção de canções vai conseguir levar adiante esse tipo de marca registrada do Whitesnake? Tenho certeza disso. Começamos nossa turnê duas semanas atrás na Nova Zelândia e abrimos com Best Years (primeira canção do disco recém-lançado), antes mesmo do lançamento do disco lá no país. E a platéia inteira ficou cantando junto com a gente. Isso responde à sua questão? Durante muitos anos, essas power ballads que celebrizaram vocês foram consideradas um tipo de diluição da essência do rock’n’roll. Como você via essas críticas? Isso é um discurso de algumas pessoas, mas não é o meu. O que há de ruim com uma balada? Um dos meus grandes hits de todos os tempos é uma balada. Eu estou apaixonado nesse momento... Não somente pela minha mulher e minha família, mas também pelo público do Whitesnake. Faça o seguinte: preste atenção às letras. Elas facilmente poderiam tratar de um relacionamento entre nós e nosso público. Dividindo os altos e baixos. As vitórias. Não só os bons tempos. Então, por que não celebrar isso? Sinto que o rock é feito de todos esses elementos - solos memoráveis de guitarra, uma bateria estrondosa, uma boa balada -, e tudo isso, dependendo da banda, é importante para se fazer um bom álbum de rock. Whitesnake hoje tem Doug Aldrich, que toca com Dio; Reb Beach, do Winger; Uriah Duff; Timothy Drury, do Eagles; e Chris Frasier. Você acredita que essa é a melhor formação da história do Whitesnake? É claro. Essa é minha banda e eu amo trabalhar com esses caras e são todos grandes músicos. Estou muito, mas muito feliz mesmo com essa formação. Do novo disco, All I Want, All I Need é um tipo de música muito apropriada para tocar no rádio, uma balada amigável, com um som especial de guitarra. Algumas pessoas já disseram que essa é a Is This Love desse disco. Você concorda? Não faço comparações, cara. Deixo isso para os fãs decidirem. Amo ambas as canções. Um crítico de música escreveu o seguinte a respeito do seu disco: "Good to be Bad vai certamente ser muito comprado por fãs do hardcore e por mulheres que vêem Coverdale como algum tipo de Fabio (cantor dos anos 90 que parecia estar sempre fazendo propaganda de xampu) para senhoras de meia-idade." O que você pensa disso? Oh, bem... Eu acho que você vai ter de checar em cada loja de discos para ver quem está comprando o disco e saber o que é verdade nisso. Sei que estamos vendendo o disco e que só as pessoas que amam o Whitesnake estão felizes de comprar o álbum. Não importa se esses são fãs de hardcore ou mulheres de meia-idade, ou pessoas que estão tendo agora o primeiro gostinho de Whitesnake. Eu amo todos meus fãs. Como eu poderia saber se eu sou visto como uma espécie de Fabio pelas mulheres? E, como você bem sabe, foi um jornalista que escreveu isso... Parte do mito a respeito de envelhecer no rock é que quando a idade chega, ela rouba de você vitalidade e parte da credibilidade. Você está agora com 57 anos. Como analisa essa nova fase de sua vida. Idade não tem a menor importância. Estou em equilíbrio comigo mesmo. Eu sei por onde tenho andado e sei para onde estou indo. Agradeço a Deus! Muitos fãs dizem que seu melhor álbum em todos os tempos é Restless Heart. Você acha mesmo Restless Heart incomparável. Como fazer um novo trabalho com a sombra de uma provável obra-prima pairando sobre sua cabeça? Jotabê, eu já disse antes: não faço comparações. Deixo isso tudo para que você possa julgar por si mesmo...

Tudo o que sabemos sobre:
Whitesnake

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.