Banda Detonautas mantém agenda de shows

A banda Detonautas não vai cancelar ou adiar as apresentações agendadas em decorrência da morte do guitarrista Rodrigo Silva Netto, o Nettinho, no último domingo. Os integrantes da banda postaram, em seu site oficial, a seguinte nota: "De luto pela perda de seu irmão Rodrigo Netto, o Detonautas Roque Clube e a Performance Be gostariam de informar que a agenda de shows do grupo permanece e todas as apresentações agendadas acontecerão conforme previsto". O próximo show acontece na sexta-feira, na casa Atlanta Shows, em Santo Angelo, no Rio Grande do Sul, segundo confirmou a assessoria de imprensa da banda ao Portal do Estadão.Nettinho, de 29 anos, morreu no último domingo durante uma tentativa de assalto no bairro do Rocha, zona norte do Rio. Nettinho dirigia o seu carro Astra quando outro automóvel do mesmo tipo emparelhou com o dele. Segundo informações do 3.º Batalhão da Polícia Militar (Méier), o veículo dos assaltantes tinha quatro ocupantes. Assustado, Nettinho tentou fugir dos criminosos, que começaram a disparar. Nettinho passou pela Avenida Marechal Rondon, onde foi morto, justamente para fugir da violência. Ele voltava de uma festa na casa da tia-avó em Cascadura, na zona norte, e deveria passar pela Linha Amarela, mas mudou o trajeto para evitar as falsas blitz e confrontos que se tornaram comuns na via expressa.O guitarrista foi atingido com um tiro na região da axila esquerda, que atravessou o peito. Ele morreu na hora. Seu irmão Rafael, que viajava no banco do carona, foi baleado no ombro e levado para o Hospital Geral do Andaraí, mas não corre risco de morte. A avó dos dois, Maria da Silva Netto, de 87 anos, estava no banco de trás e nada sofreu. Na última segunda-feira, um dos criminosos suspeitos de assassinar Rodrigo Netto morreu e outro ficou ferido em um confronto com policiais militares durante perseguição em Benfica, zona norte do Rio. Policiais militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope) deram prosseguimento, na manhã desta terça-feira, à operação iniciada na segunda-feira na Favela da Mangueira para prender os assassinos.O DetonautasA banda carrega a marca da "geração computador". Formada por internautas, reúne integrantes de distintos Estados do País e começou despretensiosamente, numa sala de bate-papo, quando o vocalista Tico Santa Cruz perguntou a companheiros de navegação quem sabia tocar algum instrumento. E o nome do grupo é uma referência clara a essa origem; segundo seus integrantes, é uma mistura das palavras "detonadores" e "internautas".Além de Nettinho, a banda é formada por Tico Santa Cruz (vocal), Renato Rocha (guitarra), Tchello (baixo), Fábio Brasil (bateria) e o DJ Cleston (pickups e percussão). Sucesso entre o público jovem, o grupo tem três discos lançados comercialmente: Detonautas Roque Clube (2002), Roque Marciano (2004) e o recém-lançado Psicodeliamor&distorção. Tiveram discos produzidos por Fernando Magalhães, do Barão Vermelho, contaram com a forcinha de amigos, como Gabriel O Pensador, e abriram em 2002 o show de Red Hot Chili Peppers no Brasil. Tudo contribuiu para que a banda ficasse conhecida e colecionasse sucessos radiofônicos, como Quando o Sol se For e Outro Lugar.Também compositor do grupo, Nettinho era o bem-humorado, o apaziguador. ?Sou amigo do Tico e acabei conhecendo os outros. Nesse tempo, eles evoluíram muito?, disse o rapper Gabriel O Pensador. ?Sinto raiva pela injustiça que fizeram a um cara que não fez mal a ninguém. Está se perdendo a noção de valor à vida.?Com o segundo álbum, o Detonautas ultrapassaram a marca do Disco de Ouro. Além disso, contam com uma séria de feitos que refletem o sucesso alcançado nos últimos anos. Em 2001, ganharam o prêmio revelação num festival de rock no Rio Grande do Norte e em 2003, tiveram o primeiro grande sucesso: Quando o sol se for, tema de uma novela da TV Globo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.