RAFAEL MELO/FOTOARENA
RAFAEL MELO/FOTOARENA

Gabriel Diniz, cantor do hit 'Jenifer', morre em acidente de avião

Velório do cantor acontece nesta terça-feira no ginásio Ronaldão, em João Pessoa, e será aberto aos fãs

ANTÔNIO CARLOS GARCIA, GUILHERME SOBOTA E THAÍS FERRAZ, O Estado de S. Paulo

27 de maio de 2019 | 14h29
Atualizado 28 de maio de 2019 | 10h22

O cantor Gabriel Diniz, de 28 anos, autor do hit Jenifer, morreu nesta segunda, 27, vítima da queda de um avião, no sul de Sergipe. O Corpo de Bombeiros de Estância, cidade próxima à região de mangue onde ocorreu o acidente, recebeu as primeiras informações por volta das 12h30. No local, foram encontrados três corpos: do cantor, e do piloto Linaldo Xavier e do copiloto Abrãao Farias, ambos diretores do Aeroclube de Alagoas. O velório e o enterro do cantor Gabriel Diniz, abertos aos fãs, serão realizados a partir das 8h nesta terça, 28, no ginásio Ronaldão, em João Pessoa (Paraíba), cidade onde ele cresceu. 

Diniz estaria de carona no avião, que partiu de Salvador rumo a Maceió, para fazer surpresa no dia do aniversário da noiva, Karoline Calheiros. No domingo, 26, ele havia realizado um show em Feira de Santana (BA). Depois, em suas redes sociais, postou fotos da apresentação e uma mensagem de agradecimento à cidade: “Sempre uma alegria voltar à Feira de Santana e ser recebido com tanta alegria e com tanta energia positiva. Obrigado pelo carinho, galera. Uma verdadeira multidão curtindo o nosso show, até a próxima se Deus quiser simmmmmm”. 

Horas depois da postagem, vieram as notícias da queda da aeronave e de sua morte. Em nota publicada em seu perfil, a produtora do artista, a Luan Promoções, confirmou as informações e lamentou. “Sua alegria estará para sempre em nossos corações! Não deixaremos perder a sua irreverência, você conquistou uma nação com o seu trabalho e carisma!!” 

Nas redes sociais, houve uma grande comoção de fãs e amigos de Diniz. “Eu vivo dizendo que a vida é uma montanha-russa de emoções. Hoje a sensação que tenho é de que estou descendo sem freio uma curva radical demais (...). Tô há algumas horas paralisada tentando assimilar o golpe e recebendo a distância os abraços dos amigos”, escreveu a atriz Mariana Xavier, que estrelou o clipe de Jenifer. 

Segundo o Registro Aeronáutico Brasileiro, o avião não tinha licença para fazer táxi aéreo e era registrado apenas para voos de instrução. Ele também estava em situação de penhora. A aeronave poderia, porém, ser utilizada para uso pessoal dos diretores, e estava com a manutenção em dia, segundo o Aeroclube. O acidente será investigado pela Aeronáutica por meio do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), com o objetivo de evitar novas ocorrências semelhantes. Investigadores do Segundo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa II) trabalham na ocorrência.

Jenifer, o arrocha (mistura de axé e forró) que ficou célebre na voz de Gabriel Diniz, foi um dos grandes hits do carnaval em 2019. A canção estava no ar desde setembro de 2018, mas foi no início de 2019 que começou a ganhar as paradas. Foi a música que projetou o cantor e o tornou conhecido nacionalmente. 

Diniz nasceu em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, mas foi em João Pessoa, na Paraíba, onde começou a carreira, como vocalista de bandas de forró. Antes de começar a incursão pela carreira solo, ele fez parte das bandas Forró na Farra e Cavaleiros do Forró. Em 2016, assinou com a gravadora Sim Music, por onde lançou os álbuns de estúdio GD Verão, em novembro de 2016, e GD, em setembro de 2017, além de dois discos ao vivo. Fez sucesso cantando forró, arrocha e sertanejo. Em fevereiro, lançou seu primeiro álbum pela Universal, GD À Vontade, que traz uma versão acústica de Jenifer. Antes do hit, o cantor já havia feito parcerias com Wesley Safadão (Acabou, Acabou) e Jorge & Mateus (Paraquedas). Assim como aconteceu com outros artistas como Mamonas Assassinas e Cristiano Araújo, a morte trágica de Gabriel Diniz interrompeu sua carreira no auge da fama.

 

IML libera corpo de Gabriel Diniz

O Instituto Médico Legal (IML) em Sergipe liberou, na noite desta segunda-feira, 27, os corpos do cantor  Gabriel Diniz e dos pilotos Abraão Farias e Linaldo Xavier, para o sepultamento. Familiares das três vítimas levaram os documentos para o IML e providenciaram o translado dos corpos para João Pessoa (o de Gabriel) e, provavelmente, seguem para Maceió os corpos dos pilotos.

O diretor do IML, o médico José Aparecido Cardoso, descreveu o estado em que estavam os corpos. “Observamos que houve múltiplos traumatismos, como craniano, torácico, abdominal, além várias fraturas, e também órgãos lacerados, como fígado, coração e pulmão. Então, nessa situação, realmente não tinha como eles se salvarem”.

Gabriel Diniz dormiu de domingo, 26, para esta segunda-feira em Feira de Santana, onde fez um show, e hoje cedo rumou para Salvador, onde pegou carona no monomotor que o deixaria em Maceió.

Também na noite desta segunda-feira, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou, por meio de nota, que  suspendeu as operações do Aeroclube de Alagoas, proprietária do monomotor que levava o cantor Gabriel Diniz

Anac afirma que há indício de transporte irregular, o que resultou na abertura de processo administrativo. “Essa apuração verificará em quais condições estava sendo feito o transporte de passageiro em aeronave de Instrução, categoria destinada a voos de treinamento. Após a conclusão da investigação ou mesmo durante o andamento do processo administrativo instaurado, os responsáveis poderão ser multados e ter licenças e certificados cassados. Além da aplicação de sanções administrativas, a Anac pode encaminhar denúncia ao Ministério Público e à Polícia para que sejam tomadas medidas no âmbito criminal”, declarou a agência.

A direção do Aeroclube de Alagoas informou, também por meio de nota, que está à disposição das autoridades e que a aeronave não está fazendo táxi aéreo. 

Gabriel Diniz é o terceiro ex-vocalista da banda Cavaleiros do Forró que morre tragicamente.  Em 2017, a cantora paraibana Eliza Clívia morreu em Aracaju, numa colisão entre o carro que viajava e um ônibus. O marido dela e baterista, Sérgio Ramos, também morreu. Em 2004, o vocalista José Inácio Alexandre da Silva e o guitarrista Edivan Paulo da Silva, da Cavaleiros do Forró,  morreram na colisão de ônibus que transportava a banda, em Pernambuco. Neste acidente, quatro pessoas morreram e 20 ficaram feridas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.