Valerie Macon/ AFP
Valerie Macon/ AFP

Audiência de Britney Spears pode marcar fim definitivo da tutela do pai

Juíza do Tribunal Superior de Los Angeles comanda audiência que pode ser crucial

AFP, O Estado de S.Paulo

29 de setembro de 2021 | 07h35

Depois de semanas de turbulência, as tentativas da pop star Britney Spears de acabar com a tutela de seu pai podem ser concluídas com uma audiência na quarta-feira, 29.

O pai de Britney controlou sua vida nos últimos 13 anos, sob um polêmico acordo legal que a cantora criticou como "abusivo", e que seus advogados estão exigindo que seja removido.

Jamie Spears "deve ser suspenso em 29 de setembro, seguido pela rápida anulação da tutela", escreveu o advogado do artista, Mathew Rosengart, em um documento apresentado ao tribunal esta semana. “Cada dia que passa com ele como tutor, cada dia e cada hora (...) causa angústia e dor para a filha”, afirma a carta.

Suas opiniões encontraram apoio em um documentário do New York Times lançado na sexta-feira, segundo o qual Jamie Spears instalou dispositivos secretos de vigilância no quarto de Britney para escutar suas conversas.

"Isso realmente me lembra alguém na prisão", disse o ex-funcionário de uma empresa de segurança aos autores do documentário Controlling Britney Spears.

Os advogados da popstar disseram esta semana que o documentário revela "uma invasão chocante e inconcebível da privacidade de sua filha adulta" por Jamie Spears.

O pai nega que tenha feito vigilância ilegal. Mas outro documentário, Britney vs. Spears, da Netflix, lançado na terça-feira, observa que Britney tentou duas vezes contratar seu próprio advogado no início da tutela, mas foi negado.

Britney finalmente conseguiu nomear Rosengart como seu advogado em julho, e em agosto seu pai entrou com uma petição para encerrar a tutela da cantora.

Mas, mesmo admitindo que sua filha "acha que pode cuidar da própria vida", ele continua como seu tutor.

Em seu briefing esta semana, os advogados de Britney acusaram Jamie Spears de tentar adiar o fim da tutela para seus próprios interesses financeiros.

Seus esforços são "um subterfúgio projetado para evitar o estigma de ser suspenso e suas consequências", disse o documento.

Representantes e apoiadores de Britney acusaram seu pai de se beneficiar da tutela, estabelecida após um colapso nervoso em 2007, quando a estrela de cabeça raspada atacou o veículo de um fotógrafo em um posto de gasolina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.