Atitude de Karen O conquista mais e mais fãs

´Jura mesmo que a Yeah Yeah Yeahs vai vir?´ Essa foi a pergunta uníssona das meninas fãs de Karen O, que não vêem a hora de assistir à banda expoente do art-punk rock pela primeira vez no Brasil. Elas se concentram em lugares chaves do gênero na capital paulistana para se esbaldar noite adentro, como Funhouse e Toy Lounge, na Consolação, e Belfiori na Barra Funda.Tailine Bonazzi, de 24 anos, conheceu a Yeah Yeah Yeahs pela amiga que mora com ela, que trouxe há um ano, dos Estados Unidos, o primeiro álbum "Fever to Tell". ´Eu adoro o som deles. Já vi clipes deles e acho que a Karen O tem uma personalidade fantástica´, conta a vendedora que curte de Bob Dylan e Rolling Stones a Rage Against the Machine. A música preferida de Tailine é "Maps". ´É linda, eu adoro.´A fotógrafa Andrea Lavezzaro, também de 24 anos, acredita que a YYY já ganha mil pontos por contar com uma voz feminina. ´Não gosto de rótulos, mas da atitude em si. Acho importante uma mulher fazer o papel de um homem, de ser líder e todos a respeitarem´, opina. ´Fora que ela é super cool.´Deborah Santiago, de 16 anos, concorda com Andrea. ´Acho legal ter uma mulher na banda liderando aquele monte de homens. Ela faz o que quer.´ Deborah ouviu pela primeira vez a YYY esse ano e foi o fato de ter uma mulher no vocal que chamou a atenção da garota que estava acompanhada de dois amigos na Funhouse, sexta-feira.Assim que souberam pelo Estado que a banda nova-iorquina estava com presença confirmada para outubro no TIM Festival, as meninas expressaram a sua indignação com os valores abusivos dos ingressos. ´Eu gostaria muito de ir, mas ainda estou na dúvida por causa da grana´, diz Mariana Pereira, de 23 anos. ´A gente não consegue ir em tudo que curte porque o valor das entradas dos shows está muito alto´, concorda Deborah. Os ingressos para o TIM variam de R$ 80 a R$ 180 - quem quiser assistir, por exemplo, ao show de jazz de Herbie Hancock, Stefano Bollani e Ahmad Jamal no Auditório Ibirapuera e YYY, Daft Punk e TV on the Radio, entre outros, no Anhembi, terá de desembolsar, respectivamente, R$ 160 mais R$ 180, totalizando R$ 340.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.