Astros da música teen se lançam em carreira-solo

Com o mercado fonográfico em crise e osgrupos de pop descartável que dominaram as paradas nos últimostempos perdendo o apelo, a estratégia de estrelas consagradas nomercado teen passa a ser o lançamento de projetos-solo. Chegamàs lojas entre outubro e dezembro discos de Justin Timberlake,do ´N Sync, Nick Carter, dos Backstreet Boys, e Beyoncé Knowles,do Destiny´s Child. Estes mesmos nomes e seus colegas tambémaproveitam a fama para investir em outros setores do mercado,como filmes, séries de TV e afins.O esgotamento da fórmula "bubble gum" começou a dar sinais comas tentativas frustradas das carreiras-solo das Spice Girls. Porisso, outros nomes que tentam agora capitalizar o fazem com cautela. Aprimeira leva americana parece ter mais chances - masdificilmente cada um dos membros do ´N Sync vai obter sucessoaproximado ao da banda completa em suas melhores fases.Justin Timberlake, o ex de Britney Spears, que recentementeteve seu nome ligado a Janet Jackson, é um dos que mais devem darcerto. Como o mais carismático membro do ´N Sync, ele jáexplorou seu lado sexy adulto (chegando a posar para umeditorial de inspiração gay na revista inglesa Arena Man, em2001) e se mostrou esperto ao se cercar de uma grande turma denomes conhecidos. Seu disco vai ter produção de fabricantes dehits como P.Diddy, Neptunes e Rodney Jerkins, além departicipações de Usher, Brian McKnight e Nelly.Pelo menos dois outros membros do ´N Sync já começaram agarantir suas carreiras paralelas. Joey Fatone está em cartaznos cinemas americanos com o filme My Big Fat Greek Weddinge na Broadway, no musical Rent. Lance Bass estáse preparando para transformar sua viagem espacial em programade TV, ao mesmo tempo em que investe na produção de outrasséries. A banda também dirige um selo fonográfico para artistasnovos.Nick Carter, o mais jovem e louro integrante dos Backstreet Boys, vai enfrentar a concorrência direta de Timberlake. Seu disco,Now or Never, promete resgatar a influência do rock que ocantor afirma ter desde criança. "Adoro coisas antigas", disseele em uma entrevista à revista americana Teen People.Apesar dos compromissos com os Backstreet Boys (que começa agravação de um novo álbum, para lançamento no início de 2003),ele pretende fazer uma turnê de divulgação para o disco.Beyoncé Knowles, por sua vez, sempre deixou claro que era aatração principal do Destiny´s Child: suas roupas sempre foramas mais reveladoras, suas perucas sempre foram as maiores e seupai, Matthew Knowles, é o empresário do grupo. Em termos devendas, sua tentativa de carreira-solo pode ficar mais próximade Lauryn Hill - que acabou se tornando mais famosa do que oFugees - do que das Spice Girls.A cantora escolheu o veículo certo para se lançar no mercado, oterceiro filme da série Austin Powers, que bateu recordes defaturamento nos cinemas americanos no fim de semana. Além defazer o papel de Foxy Cleopatra, ela também canta as músicas Hey Goldmember e Work It Out, que estão na trilha sonora(a segunda deve ser o primeiro single de seu disco,Dangerously In Love, que, por sinal, é o nome de uma dasfaixas de Survivor, do Destiny´s Child). Knowles estágravando o disco a toque de caixa, já que ainda em agosto elacomeça a trabalhar no segundo filme, The FightingTemptations, em que faz o papel de uma cantora de gospel.O lançamento do disco de Beyoncé foi atrasado de outubro paradezembro porque niguém esperava que uma outra integrante doDestiny´s Child, Kelly Rowland, fizesse sucesso: Dilemma,que ela gravou com o rapper Nelly, foi parar entre as dez mais daBillboard, acarretando em mudança de planos na turma (seuálbum estava previsto para chegar às lojas por último, em 2003).Michelle Williams, a menos ambiciosa das integrantes do grupo,lança no ano que vem um álbum de música gospel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.