Ashcroft volta com repertório existencial

Megalomaníaco, vaidoso, pretensioso, ocantor Richard Ashcroft desfruta de status de superastro noReino Unido. Essa reputação começou a ser construída comlimousines, declarações grandiloqüentes e um bom passado nabanda de brit pop Verve.Sozinho na estrada, ele já lançou dois discos. Oprimeiro foi Alone with Everybody, em 2000. Agora, retornaàs prateleiras com Human Condition, lançado este mês em todoo mundo - e aqui no Brasil pela Virgin Records.Com Human Conditions, como diz o nome, Ashcroft sepropõe a discutir questões existenciais com canções sobre Deus,a verdade, o sentido da vida, a paixão humana.Em duas faixas, ele se faz acompanhar pelopercussionista hindo-britânico Talvin Singh, que dá um temperooriental. Em outras, o parceiro é o patriarca dos Beach Boys,Brian Wilson, que faz arranjos e dá um tom melódico mais"irresponsável", alegre - coisa que Ashcroft definitivamentenão conhece o sentido.O tamanho da pretensão e o resultado ínfimo fez muitagente dizer lá em Londres que "agora nós temos um novo Sting".Mas não é tão desolador assim: quando Ashcroft, que é um grandecantor, envereda para algo mais rascante, como em BrightLights, o som até que é bem legal.Human Conditions. CD do cantor Richard Ashcroft. Preço médio: R$30,00. Lançamento Virgin Records.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.