Fabio Motta/ Estadão
Fabio Motta/ Estadão

Às vésperas do lançamento, título do novo álbum do Maroon 5 causa polêmica

Inspirado em 'Matrix', o nome 'Red Pill Blues' também é usado por grupos misóginos nos EUA

O Estado de S.Paulo

01 de novembro de 2017 | 18h06

O título do novo álbum do Maroon 5, que será lançado nesta sexta-feira, 3, continua causando muita polêmica mundo afora. Tudo porque o nome Red Pill Blues é exatamente o mesmo escolhido por um grupo que defende os "direitos dos homens" nos Estados Unidos.

Alguns fãs começaram a questionar a banda nas redes sociais sobre a escolha do nome controverso. O Maroon 5 precisou vir a público e explicar que a inspiração não tinha nenhuma origem no preconceito contra as mulheres.

+ Rock in Rio: Maroon 5 faz repeteco, dessa vez para seu público

"O título faz referência a um termo popularizado nos filmes Matrix. Nunca foi intenção da banda referenciar qualquer outra coisa. A banda está chocada de que essa polêmica tenha aparecido", respondeu o grupo, esclarecendo a confusão, em reportagem do site Death and Taxes.

Nesta quarta-feira, 1°, o guitarrista James Valentine voltou a falar sobre a polêmica. "Nós estamos falando sobre Matrix. Você quer a pílula vermelha ou azul? 2017 é o ano em que tudo pode parecer meio áspero, não é?", afirmou ele em entrevista ao Huffington Post. "Nós não temos nenhuma relação com essa história de direitos dos homens. Felizmente, todo mundo sabe do nosso passado. Nós todos da banda somos pró-feminismo. Trata-se, portanto, de uma associação, terrível", complementou ele.

Música nova. A banda Maroon 5 divulgou sua nova música de trabalho, Wait, na última terça-feira, 30. A canção também estará no álbum Red Pill Blues, assim como as já apresentadas Whiskey, em parceria com A$AP Rocky, What Lovers Do, com a cantora SZA, e Help Me Out, com Julia Michaelse.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Maroon 5MúsicaAdam Levine

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.