Mark Blinch/Reuters
Mark Blinch/Reuters

As 'baixas' de Michael Jackson

Após denúncias de pedofilia e abuso sexual, cantor foi banido de rádios; recriação de show e homenagens foram canceladas

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de junho de 2019 | 06h00

 

Amar ou odiar Michael Jackson parece ter se tornado uma questão de escolha entre duas narrativas que conseguiram polarizar o maior caso de idolatria do século 20. Aos que o amam: Michael Jackson colocou sozinho a música pop em patamares numéricos nunca atingidos; ergueu, com Quincy Jones, Thriller, o álbum artisticamente mais vitorioso da história; e, flutuando no palco, se tornou o artista mais completo de sua era.

Aos que o odeiam: denúncias de dois homens feitas no documentário Leaving Neverland apontam para prática de pedofilia nos anos 90. Jackson teria seduzido os então garotos Wade Robson e James Safechuck com todo o seu poder magnético de superastro e enganando inclusive suas mães para poder dormir com eles. 

Denúncias contra Michael Jackson tiveram efeito e resultaram em diversas 'baixas' de produtos e espetáculos que, de forma ou outra, homenageavam o astro. Confira algumas:

 

Banido das rádios

Duas estações da Nova Zelândia retiraram o astro de sua programação. No Canadá, três estações de Montreal fizeram o mesmo.

‘This is It’ cancelado

A ideia de recriar o show que seria o último de Michael, com bailarinos de Michael e músicos convidados, foi enterrada. 

 

Filmes engavetados

Duas séries, uma documental e outra de ficção, adaptadas do livro Intocável: a estranha vida e a trágica morte de Michael Jackson, do jornalista americano Randall Sullivan, foram descontinuadas.

Especial Jackson 5

A produção sobre os 50 anos do grupo caminhava até que o documentário Leaving Neverland surgiu.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Michael Jackson

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.