Jair de Assis
Jair de Assis

Artistas lamentam a morte de Angela Maria: 'Uma das maiores vozes do País', disse Elza Soares

Angela Maria morreu na noite deste sábado, 29, em São Paulo, em decorrência de uma parada cardíaca; ela estava internada desde o final de agosto

O Estado de S. Paulo

30 Setembro 2018 | 19h28

"O céu em festa", escreveu Elza Soares, em post publicado no Instagram. "Nossa eterna rainha, uma das maiores vozes que nosso Brasil produziu. Setenta anos de uma carreira gloriosa. Uma inspiração na vida de todos nós, minha querida Angela Maria. Salve salve a rainha do rádio", completou ela.  

A morte de Angela Maria, a rainha do rádio, aos 89 anos, motivou uma série de publicações como a de Elza nas redes sociais. 

De acordo com informações da unidade do Itaim Bibi do Hospital Sancta Maggiore, onde Angela Maria estava internada desde o final de agosto por causa de uma infecção generalizada, ela não resistiu a uma parada cardíaca na noite deste sábado, 29.

Conta  Daniel D'Angelo, marido dela, que, em 25 de agosto, Angela teve um mal-estar e ele tentou levá-la ao hospital, algo que foi recusado pela cantora, de pronto. Acabou convencida a ir. Lá se constatou que ela tinha uma infecção abdominal que cresceu, tomou conta dos outros órgãos. Por fim, teve ainda dois AVCs. Ao todo, foram 34 dias no hospital.  

Angela Maria reencontrou, agora, seu "marido musical". A cantora, que morreu na noite deste sábado, 29, aos 89 anos, foi enterrada ao lado do também cantor Cauby Peixoto, que partiu dois anos antes, em 2016. A informação foi dada pelo marido dela, Daniel D'Angelo, ao portal G1. 

O velório teve início por volta das 10h deste domingo, 30, e o enterro, realizado às  16h20, no Cemitério Congonhas. O enterro ocorreu sob cantos e palmas para a rainha do rádio. 

Veja, abaixo, a repercussão da morta da cantora: 

 

 

 

 

Mais conteúdo sobre:
músicaAngela Maria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.