Denilson Santos e Francisco Cepeda/Divulgação
Denilson Santos e Francisco Cepeda/Divulgação

Artistas embalam público do João Rock após dois anos sem festival

Shows aconteceram no último sábado, 11, em Ribeirão Preto, trazendo diversos nomes consagrados

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de junho de 2022 | 14h43

O festival João Rock ocorreu em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, no sábado, 11, após dois anos sem ser realizado por conta da pandemia de Covid-19. 

No Palco João Brasil, nomes mais recentes como Emicida, Criolo e Céu, que encerraram a noite, e Djonga, animaram o público assim como artistas que trouxeram um clima mais nostálgico, como CPM 22 e Titãs. Houve ainda apresentação conjunta de Pitty com Nando Reis, o reggae do Natiruts e shows de Humberto Gessinger e Roça Nova. 

Coruja BC1 foi remanejado de última hora da linha do Fortalecendo a Cena para o palco principal depois que um dos integrantes do BaianaSystem testou positivo para Covid, cancelando a participação da banda. 

Já o Palco Brasil, em "edição Rio de Janeiro", focou em artistas fluminenses com extensa trajetória musical, como Erasmo Carlos, Barão Vermelho, Planet Hemp, Gabriel, o Pensador e Marcelo Falcão, que chegou a cantar sucessos de seus tempos de O Rappa. A abertura ficou por conta de Braza. 

 

No Palco Fortalecendo a Cena, Rashid, Lelê e Drik Barbosa, Lagum, Poesia Acústica, Matuê e Cynthia Luz e Froid embalaram o público. 

Ainda sem a definição de todas as bandas que irão se apresentar, o festival João Rock já confirmou sua 20ª edição em 2023. 



 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.