WILTON JUNIOR/ESTADAO
WILTON JUNIOR/ESTADAO

Artistas destinam parte de seus direitos autorais a profissionais carentes da música

Campanha da associação Abramus, uma das que fazem a gestão de direitos do autor no País, convidou artistas como Lulu Santos, Jorge Vercilo e Frejat a enviarem parte de seus ganhos aos profissionais em estado de carência por causa da pandemia

Julio Maria, O Estado de S.Paulo

19 de abril de 2021 | 13h46

Uma das maiores associações de gestão de direitos autorais ligada à música no País, a Abramus lançou uma campanha para arrecadar recursos para a aquisição de cestas básicas. Cada autor representado pela entidade que aceitou participar vai doar a profissionais em estado de carência do meio musical uma porcentagem dos direitos autorais arrecadados em execuções públicas de uma de suas obras. Os valores serão referentes aos meses de maio, junho e julho de 2021.

Leia Também

A família Caymmi

A família Caymmi

Os artistas da Abramus que aderiram ao projeto, e suas respectivas músicas a terem porcentagens destinadas, são Lulu Santos, com A Cura; Roberto Menescal, com Barquinho; Roberto Frejat, com Amor pra Recomeçar; Dudu Falcão, com Paciência; Jorge Vercillo, com Que nem Maré; Danilo Caymmi, com O Bem e o Mal; Abel Silva, com Simples Carinho; Nando Cordel, com Você Endoideceu Meu Coração; e Bruno Cardoso e Sergio Jr do Sorriso Maroto, com Antes que o Mundo Acabe.

A primeira campanha da Abramus foi realizada, a Campanha Artística Humanitária, foi realizada em 2020 e distribuiu mais de 32 toneladas de alimentos a profissionais da cultura que tiveram suas fontes de renda comprometidas desde o início da pandemia. A ideia, mais uma vez, é atender a músicos, técnicos de som, roadies e iluminadores, entre outras atividades, que estejam sem remuneração há mais de um ano. Na campanha de 2020, os leilões virtuais de itens exclusivos de 33 artistas ajudaram a cerca de 2.500 famílias em sete estados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.