Reprodução
Reprodução

Artistas defendem fãs que baixam músicas na internet

Na quarta, 140 cantores e bandas votaram contra o processamento judicial que tiram canções da rede

Efe,

12 Março 2009 | 14h05

Um grupo de músicos formado pelo guitarrista Ed O'Brien, do Radiohead, e pelos cantores Robbie Williams, Annie Lennox e Billy Bragg criticaram nesta quinta-feira, 12, uma proposta que quer tornar crime o ato de baixar músicas pela internet. Na noite de quarta-feira, a The Featured Artists Coalition, que reúne mais de 140 bandas ou cantores, votou majoritariamente contra o processamento judicial de fãs por esse motivo.

 

Vote na enquete:

 Você acha que os artistas conseguem sobreviver com o download gratuito de música?

Veja também:

especialEspecial - Radiohead, disco a disco

 

Os músicos transferirão essa opinião majoritária ao secretário de Estado para as Comunicações britânico, lorde Carter, que sugeriu a possibilidade de tipificar essas ações como crime, segundo informa hoje o jornal The Independent. Um dos músicos, Billy Bragg, declarou ao jornal que "a indústria musical não pode seguir por esse caminho" com medidas protecionistas que equivalem "a colocar a pasta de dente outra vez no tubo".

 

A coalizão, criada para defender os direitos dos músicos no mundo digital, também quer que empresas como YouTube e MySpace remunerem os músicos quando usarem suas composições em publicidade. "Os artistas deveriam ser titulares dos direitos e poder decidir quando sua música pode ser usada gratuitamente e quando é preciso pagar por ela", disse Bragg.

 

Brasil

 

Em 20 de março, o Radiohead fará show no Just a Fest, no Rio de Janeiro. Dois dias depois, os ingleses tocam em São Paulo. Os shows de abertura do grupo ficarão por conta dos alemães do Kraftwerk e dos brasileiros do Los Hermanos. A apresentação vai marcar o fim do recesso da banda, que não tocam juntos desde junho de 2007.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.