Arnaldo Antunes começa turnê com show no Ibirapuera

Para sua nova turnê, que estréia nesta sexta-feira no Auditório Ibirapuera, Arnaldo Antunes planejou reproduzir no palco a base musical minimalista do recente CD Qualquer, arquitetado com violões, teclado, guitarra. Nada de bateria ou percussão. "Terá uma sonoridade mais uniforme, com a mesma formação do disco. Queria ser fiel a essa sonoridade no show", diz ele. Isso não quer dizer que será um formato banquinho e violão. "Eu não consigo não dançar", avisa.Pela impossibilidade das agendas dos músicos que estiveram com ele no estúdio, só o violonista Chico Salém o acompanhará na turnê. "Chico toca comigo há muitos anos." O guitarrista Edgard Scandurra, que participou da gravação do disco, abrirá uma exceção na curta temporada paulistana de Arnaldo e está confirmado nas apresentações desta sexta e de domingo.Além de gravar todo o disco com a banda junta, ao vivo, Arnaldo teve outra preocupação com este novo trabalho: suavizar sua voz em todas as faixas. Para manter essa suavidade, tratou de baixar o tom da voz, que, em outras ocasiões, normalmente era elevada às alturas. Fará isso também em músicas como Socorro e Não Vou me Adaptar, esta dos tempos de Titãs. Ainda da fase titânica, resgatará O Pulso, já habitualmente cantada por ele num tom mais baixo.Para o repertório do espetáculo, reservou ainda releituras de Acabou Chorare (uma dessas músicas afetivas que incluiu no novo CD), Exagerado (de Cazuza, Ezequiel Neves e Leoni, que Arnaldo já havia gravado no CD Paradeiro) e Judiaria (de Lupicínio Rodrigues), entre outras. Mas a base mesmo são as canções do novo Qualquer. Entre elas, está Eu não Sou da Sua Rua, composição antiga dele e Branco Mello e gravada por Marisa Monte, há muito tempo cantada por Branco em seus shows e só agora registrada por Arnaldo. "Tenho apreço por esta canção. Nunca consegui combiná-la com o restante do repertório dos outros discos. Agora surgiu essa oportunidade." Arnaldo Antunes. Auditório Ibirapuera (800 lug.). Av. Pedro Álvares Cabral, s/n.º, portão 2, Pq. do Ibirapuera, 5908-4299. Hoje a dom., às 20h30. R$ 30

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.