Cristina Granato
Cristina Granato

Arlindo Cruz sofre AVC hemorrágico e é internado às pressas no Rio de Janeiro

Sambista faria apresentação em Osasco nesta sexta-feira, 17

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

17 Março 2017 | 20h50

RIO - O cantor e compositor Arlindo Cruz, de 58 anos, passou mal na tarde desta sexta-feira (17), em sua casa, no Recreio dos Bandeirantes (zona oeste do Rio), e foi levado pela mulher, Babi, para a Coordenação de Emergência Regional (CER) Barra da Tijuca (também na zona oeste), em frente ao Hospital Municipal Lourenço Jorge. 

Segundo a assessoria de imprensa do artista, uma tomografia indicou que ele sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) hemorrágico. Arlindo chegou inconsciente à CER, às 17h20, e foi atendido na sala vermelha (para as maiores emergências). Depois do atendimento inicial, o músico foi transferido numa ambulância para a Casa de Saúde São José, no Humaitá (zona sul). Pouco antes das 20h, Arlindo Neto, filho de Cruz, informou pelas redes sociais que o pai estava “em estado estável”.

Arlindo teria um show nesta sexta-feira em Osasco, na Grande São Paulo, que foi desmarcado em função do problema de saúde.

Carreira. Arlindo Cruz é um dos sambistas mais famosos do Brasil. Autor de clássicos como “Bagaço da Laranja”, “Só pra Contrariar” e “Seja Sambista Também”, durante 12 anos ele integrou o grupo Fundo de Quintal. Entrou em 1981, quando Jorge Aragão deixou o grupo, e permaneceu até 1993. Depois fez dupla com Sombrinha, e nos últimos anos segue carreira solo.

Torcedor fanático do Império Serrano, Arlindo também é compositor de samba-enredo. Ganhou sete concursos na escola da Serrinha (zona norte do Rio), entre 1996 e 2007, e compôs ainda para outras agremiações.

Na TV, Arlindo costuma participar das temporadas do programa “Esquenta”, apresentado por Regina Casé na Globo.

Veja o comunicado oficial publicado na página de Facebook do artista: 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.