Chris Pizzello/ AP
Chris Pizzello/ AP

Ariana Grande sofre de estresse pós-traumático após atentado em Manchester

Cantora disse à revista Vogue que não pode falar do acontecimento sem começar a chorar

EFE

05 Junho 2018 | 10h22

A cantora americana Ariana Grande sofre de estresse pós-traumático desde o atentado terrorista ocorrido há pouco mais de um ano durante um dos seus shows em Manchester (norte de Inglaerra), declarou a artista à edição britânica da revista Vogue.

Ariana explicou em entrevista que será divulgada na sexta-feira e da qual foram antecipados alguns trechos, que não pode falar do acontecimento sem começar a chorar, já que "muitas pessoas sofreram graves perdas".

"Sei que essas famílias, meus admiradores e todo o mundo tiveram grandes perdas", afirmou sobre um drama do qual sente que "nem sequer deveria falar".

A síndrome por estresse pós-traumático é um transtorno mental causado pelo trauma de um acontecimento estressante de natureza ameaçadora para a pessoa, que, em muitos casos, se associava aos soldados que retornam de contextos de combate.

O ataque terrorista na cidade britânica aconteceu o 22 de maio de 2017 ao término do show da artista na Manchester Arena e deixou 22 vítimas mortais, assim como dezenas de feridos.

Há duas semanas, por ocasião do primeiro aniversário, a cantora revelou nas redes sociais uma nova tatuagem atrás da orelha, uma pequena abelha, símbolo do passado industrial da cidade de Manchester, como tributo às vítimas.

 

Mais conteúdo sobre:
Ariana Grande terrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.