Argentino Daniel Barenboim é destaque em orquestra de Milão

O maestro argentino Daniel Barenboim terá um papel privilegiado durante os próximos cinco anos na Orquestra de Milão, segundo anunciou o Teatro de Milão. A orquestra está sem um responsável desde a renúncia do diretor italiano Riccardo Muti, ocorrida no ano passado. Barenboim iniciará uma colaboração intensa com a orquestra, que o levará a dirigir três novas temporadas da ópera Tristão e Isolda a partir de 2007. Segundo o Superintendente do Teatro de Milão, Stephane Lissner, Barenboim entrará para "a grande família dos chefes de orquestra que contribuíram para aumentar o prestígio do nosso teatro, como Arturo Toscanini, Von Karajan e todos os grandes diretores que fizeram a história da Orquestra de Milão". Daniel Barenboim nasceu em Buenos Aires mas foi criado em Israel, por isso sempre manteve uma relação estreita com o país, e teve sempre um papel de destaque na tentativa de promover a paz entre israelenses e palestinos por meio da música. Regeu, em 23 de abril, em Ramala, Israel, o segundo concerto da Jovem Orquestra Palestina. A intenção da iniciativa foi esquecer as dificuldades cotidianas, como ressaltou o maestro: "A mensagem não é a vida é bela", mas "mostrar o que poderia ser a vida se reinasse a igualdade que reina na música".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.