Apresentações de samba agitam São Paulo

Entra modismo, sai modismo e o Fundo de Quintal é um dos poucos grupos de samba que sobrevivem, com dignidade, às reviravoltas do mercado fonográfico nas últimas duas décadas. O conjunto acaba de lançar o projeto Fundo de Quintal ao Vivo Convida, cuja gravação é uma comemoração dos 24 anos de estrada, mas também um pretexto para registrar o primeiro DVD, lançado com a versão CD, pela nova gravadora, a independente Indie Records. Agora, mostra o resultado da empreitada, ao vivo e em cores, na turnê nacional que começou no Rio e chega a São Paulo, onde se apresenta hoje e amanhã, no Olympia.Além do Fundo de Quintal há mais dois bons programas no fim de semana. Hoje, a veterana carioca Tia Surica da Portela faz show único no Traço de União. O paulista Samba da Vela vai tomar a choperia do Sesc Pompéia, hoje e amanhã. É o primeiro dos três shows do projeto Samba!, Samba? Samba!, que na próxima semana traz o Pagode Nuclear, com os roqueiros João Gordo (Ratos de Porão), Clemente (Inocentes) e Mingau (Ultraje a Rigor), cantando hits do punk em ritmo de batucada.O Fundo de Quintal relembra sucessos que tiveram destaque na carreira, como Vai lá, Vai lá, Do Fundo do Nosso Quintal, Lucidez, Só pra Contrariar e tantos outros sambões. A única diferença é, para este projeto, os músicos se cercaram de uma constelação do samba, desde velhos bambas do gênero (muitos deles, antigos integrantes do Fundo), como Almir Guineto, Sombrinha Dona Ivone Lara, Leci Brandão, Arlindo Cruz, Jorge Aragão, Zeca Pagodinho, Alcione, Beth Carvalho e muitos outros, até um representante da nova geração, o badalado Dudu Nobre.Já o Samba da Vela é um fenômeno que começou na região de Santo Amaro, em São Paulo, em 2000, entre sambistas, na maioria jovens, que cantam sambas inéditos. Além dos shows no Sesc, a comunidade vai comemorar o quarto aniversário no domingo, para o público infantil, na sede da Associação Cultural Comunidade de Santo Amaro, da qual faz parte. Na festa de 4 anos, 14 músicos e 30 integrantes da comunidade dividirão o palco com outros oito convidados das Velhas Guardas das escolas de samba Nenê da Vila Matilde e Camisa Verde e Branco, além de Osvaldinho da Cuíca.Quatro anos era a idade com que Tia Surica começou a desfilar pela Portela, ao lado dos pais. Só recentemente, aos 63, lançou o primeiro CD, cantando sambas esquecidos, de gente como Monarco, Aniceto, Casquinha e Manacé, que a convidou para integrar a Velha Guarda da Portela em 1980. No show de hoje vai cantar essas relíquias que fazem a festa nas rodas de samba em seu famoso cafofo no Rio.Tia Surica da Portela - 18 anos. Traço de União, Rua Cláudio Soares, 73, Largo da Batata, Pinheiros, 3031-8065. Hoje, às 21 horas. Couv. art: R$20. Fundo de Quintal - 14 anos. Olympia, Rua Clélia, 1.517, Lapa, 3866-3000. Hoje e amanhã, 22h30. R$ 20 a R$ 50. Samba da Vela - 18 anos. Choperia Sesc Pompéia, Rua Clélia, 93, Pompéia, 3871-7700. Hoje a amanhã, 20h30. R$ 3 a R$ 6.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.