Após seleção do júri, julgamento de Jackson avança

Um dia depois de os 12 jurados do julgamento de Michael Jackson por pedofilia serem selecionados, os advogados avançaram na escolha dos oito suplentes para o júri. Dos candidatos questionados, a defesa rejeitou três e a acusação um. Outros candidatos haviam sido dispensados ontem. Os suplentes serão convocados caso haja algum problema com algum dos 12 jurados.Entre os potenciais suplentes eliminados hoje pela defesa está uma mulher de 36 anos cujo irmão é policial e um mecânico de 52 anos que disse que a mídia não conhece os fatos de um caso tanto quanto as pessoas envolvidas. A acusação dispensou uma mulher de 44 anos que pareceu cansada ao falar de sua capacidade de servir. Até agora, a defesa já gastou quatro das oito dispensas que pode dar sem justificativas, enquanto a acusação gastou três. Os outros candidatos foram eliminados por motivos como carga horária de trabalho. Com pessoas vindas do Condado de Santa Bárbara, onde Jackson mora, o júri do cantor é formado por quatro homens e oito mulheres, com idades variando de 20 a 79 anos. Entre eles, há vários fãs do cantor, quatro pais de filhos pequenos, uma mulher cujo neto foi condenado por agressão sexual e um homem, de 21 anos, que visitou o rancho de Jackson, Neverland, quando era criança. O júri é formado basicamente por pessoas brancas e latinas e, aparentemente não há nenhum dos seis negros que estavam entre os 240 candidatos. O tribunal não divulgou a raça dos jurados e os advogados e jurados estão sob uma ordem de silêncio que os impede de falar sobre o caso. A raça seria um fator importante porque pesquisas de opinião mostram que os negros têm maior inclinação a acreditar na inocência de Jackson. Um homem negro está na lista dos candidatos a suplentes. Duas mulheres negras foram rejeitadas pela acusação. A defesa foi contra e Jackson se mostrou irritado nas duas ocasiões. Uma delas disse, ontem, que o marido havia sofrido discriminação racial enquanto trabalhava para o Departamento do Xerife do Condado de Santa Bárbara e criticou a formação do júri. "Apenas olhe à nossa volta. Um júri de iguais teria de ser formado por pessoa da mesma idade e da mesma cor que ele", ela disse. "Qual a diversidade que se vê neste júri?" Jackson acenou com a cabeça conforme a mulher falou de suas experiências.O cantor, de 46 anos, é acusado de abusar sexualmente de um menino de 13 anos, dar-lhe vinho e conspirar para manter ele e a família presos no rancho Neverland. Ele se declarou inocente de todas as acusações. O julgamento pode durar até seis meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.