Após 18 anos, Testament volta ao Brasil para cinco shows

Com mais de duas décadas de estrada e 18 anos desde sua última visita ao Brasil, a banda de trash metal Testament volta ao País para shows em cinco cidades. Em São Paulo, os californianos se apresentam no Via Funchal, na quarta-feira, 25, depois de passar por Porto Alegre, nesta terça. Há ainda apresentações programadas para Curitiba (26), Rio (27) e Belo Horizonte (28).Originário da Bay Area, em São Francisco, o Testament é considerado um dos criadores do trash metal ao lado de Metallica, Megadeth, Slayer e Anthrax. Inicialmente, estava previsto que a banda se apresentasse com sua formação original. Mas o baterista, Louie Clemente, não vem. "Ele não quer mais tocar bateria", disse, em entrevista ao Estado, o guitarrista Eric Peterson. Louie chegou a deixar a banda - e a carreira musical - em 1992 para se dedicar a algo mais estável. Depois, voltou em 2005 para uma turnê com os antigos companheiros. Nessa época, dividia a bateria com John Tempesta, pois já não tinha mais a mesma técnica para tocar as velhas canções da banda. "Ele não consegue mais tocar tão rápido e tão pesado quanto antes", afirmou Peterson. Louie será substituído por Nick Barker, que está participando das gravações do novo álbum da banda. "Tocaremos até mais pesado, pode ter certeza", garante o guitarrista.Novo álbumAlém de Peterson e Nick, a banda conta com Chuck Billy nos vocais, Alex Skolnick na guitarra e o baixista Greg Christian. E o quinteto promete também um set list repleto de clássicos para o público brasileiro. "Aí no Brasil os fãs têm mais paixão pela música. Lembro da nossa primeira passagem por aí. Foi fantástico", diz ele.Entenda-se por clássicos canções como The New Order, The Preacher e Practice What You Preach. Peterson desconversa sobre as novas músicas, apesar de a banda estar trabalhando num álbum de inéditas. "Já temos oito ou nove músicas novas, mas não sei se tocaremos alguma coisa desse material." Na opinião do guitarrista, o novo álbum vai ser parecido com os primeiros trabalhos do Testament, The Legacy (1987) e The New Order (1988).Talvez essa volta ao passado tenha relação com o tipo de som que o guitarrista, um dos principais compositores da banda, esteja ouvindo. "Tenho ouvido Black Sabbath, principalmente o Heaven and Hell, e Whitesnake, além de Muse. Adoro o último disco deles. Mas estou mesmo muito interessado no material novo do Testament. Estou ouvindo muito as nossas novas músicas", brinca Peterson, atiçando a curiosidade - e o desejo - dos fãs.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.