Apollo Nove inicia turnê com show no Auditório Ibirapuera

Sabe toda aquela complexidade sonoraouvida em "Res Inexplicata Volans", primeiro disco do produtorApollo Nove? Esqueça-a na caixinha de seu CD quando for assistirà turnê dele, que estréia nesta sexta-feira no Auditório Ibirapuera elá fica até domingo. Já na época do lançamento de seu álbum oprodutor não escondia que esse projeto estava relacionado a umdeterminado momento de sua vida. Foi iniciado em 2003 efinalizado não faz muito tempo. Nesse período, as coisas haviammudado. Ele se encheu de eletrônica, elemento proeminentenaquele trabalho. E seu show não deixa de ser um reflexo diretodisso. "Levei três anos gravando o disco, usei mais de 30músicos. Aparecem também muitos teclados, samples: são coisasque não gosto de usar no palco. Não gosto de levar computadorpara o palco", conta. Para ele, computador é uma tentação: comele, é possível gravar teclados e simplesmente reproduzi-los noshow. "Aí estaria fazendo playback." Quer um show mais orgânico,mas na dosagem certa. Mas não é só isso. Algumas canções do disco foramgravadas com tamanha espontaneidade, que os tempos de duraçãodelas ficaram absurdos. "Ensaboar Você (Soap You)" é um dessescasos. Foi gravada durante uma descontraída jam session, ao ladode Seu Jorge e Céu. Para ele, transpor essa graça do disco paraum show ensaiado soaria forçado demais. "Então, se não dá parafazer igual ao CD, vai ser completamente diferente", sentencia."Estou numa fase mais divertida." E já avisa: vai ser barulheira pura. Seus companheirosnessa fuzarca sonora já foram escalados. A banda, que reúnemúsicos das mais diversas escolas, vem formada por: IggorCavalera, DJ Zegon, Thalma de Freitas, João Parahyba, Marinho e,claro, o próprio Apollo. Um a um, o produtor explica suasescolhas. O ?brother? Zegon, companheiro de Planet Hemp, foi ohomem que já havia levado para aquele grupo elementos do hip-hopcom samba. "Isso influenciou muito a gente." Thalma, segundo ele é divertidíssima e versátil. E Iggor chega para arrebentar.Apollo está orgulhoso dessa formação e da capacidade dereinvenção de cada um deles. "São músicos que já fizeram de tudona carreira." Isso lhes dá passe livre para o imprevisível: nãose surpreenda se Iggor se revelar numa versão mais light ou seJoão Parahyba aparecer com uma pegada mais pesada. A banda se restringe a eles. Apollo Nove não quisreproduzir no palco a constelação de convidados especiais quepercorreu seu "Res Inexplicata Volans". Confessa que chegou acogitar Seu Jorge e Cibelle (com quem mantém uma dependênciaartística) em seu show, mas logo desistiu da idéia diante daagenda incompatível dos amigos. Para ele, a decisão lhe pareceua melhor. "Senão ia ficar parecendo um show de calouros", brinca Do disco, portanto, ele leva para o palco apenas aespontaneidade e alguma leveza. E, claro, parte do repertório.Parte, porque se pretendem algumas coisas absurdas e engraçadas,em revisitas a Iggy Pop, Rita Lee, Led Zeppelin e outrosilustres homenageados. Apollo Nove. Auditório Ibirapuera (800 lug.). Avenida PedroÁlvares Cabral, s/n.º, portão 2 do Parque do Ibirapuera. (11)5908-4299. De amanhã a dom., 20h30. R$ 30

Agencia Estado,

22 de setembro de 2006 | 11h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.