AOL pode se desfazer da Warner Music

A Warner Music pode mudar de dono. O conglomerado AOL Time Warner estuda se desfazer da gravadora, uma das cinco maiores do mudo, ao lado da BMG, EMI, Sony e Universal, como parte de uma "cirurgia radical" para sanar dívidas. As discussões encontram-se em seu estágio inicial, com nenhum sinal de que uma medida radical seria adotada em breve, segundo o Wall Street Journal.O debate se inicia, em parte, devido à determinação do executivo-chefe da empresa, Richard Parsons, em reduzir o volume da dívida de US$ 26 bilhões da AOL, afirma o jornal. Especula-se que se Parsons não mostrar progresso em uma recuperação da empresa no próximo ano, os grandes acionistas poderão substituí-lo por outro executivo.A companhia já vem explorando a venda de sua unidade de publicação de livros e tem indicado que poderá vender outros ativos não estratégicos, tais como times esportivos. Na quarta-feira, a AOL Time Warner divulgou um prejuízo de US$ 98,7 bilhões em 2002. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

31 de janeiro de 2003 | 14h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.