Paula Fróes/Bapress
Paula Fróes/Bapress

Anúncio da saída de cantor do Chiclete com Banana causa corrida por abadás

Procura por blocos comandados pela banda no carnaval 2014 derrubou o site responsável pela comercialização dos ingressos

Tiago Décimo / Salvador, Agência Estado

11 Setembro 2013 | 23h03

O anúncio do cantor Bell Marques, que sairia da banda Chiclete com Banana após o fim do carnaval de 2014, causou uma corrida dos fãs por abadás de blocos comandados pela banda na folia baiana.

A procura foi tanta que derrubou o site da Central do Carnaval, responsável pela comercialização dos ingressos, e forçou a diretoria da empresa a suspender as vendas online. Segundo a empresa, apesar de o site exibir a informação de que o lote está esgotado, há ingressos disponíveis.

Sem acesso ao site, os fãs buscaram as lojas físicas da empresa - e causaram filas que geralmente só são vistas na véspera da festa. "Depois de 15 anos juntos, não poderia perder a despedida", conta o administrador Adilson Borba, de 39 anos, que diz sair no Camaleão anualmente, desde os 25 anos. "Naquele ano, ganhei (o abadá) de aniversário de uma

namorada. Ela ficou pelo caminho, mas o Chiclete, não." Ele e três amigos desembolsaram R$ 2,9 mil, cada um, pelos três desfiles do bloco Camaleão, o mais procurado - e caro - do carnaval de Salvador. O intenso movimento atrás dos abadás fez crescer o boato de que o anúncio não passa de estratégia de marketing.

Depoimentos de alguns artistas fortaleceram a tese. O cantor Tatau, da banda Ara Ketu, por exemplo, disse acreditar que Bell anunciou a despedida "de cabeça quente" e que há volta para a situação. O próprio Tatau passou por experiência parecida. Depois de fazer sucesso à frente da banda, com hits como Ara Ketu é Bom Demais, Pipoca e Mal Acostumado, entre as décadas de 1990 e 2000, o cantor anunciou a saída do grupo em 2008. Como nem a carreira-solo, nem a banda deslancharam depois disso, ele voltou ao Ara, no ano

passado. "Alguém vai voltar atrás, porque não dá para imaginar o Bell fora do Chiclete, nem o Chiclete sem o Bell", avalia Tatau.

Para a banda, porém, a saída é definitiva. Os integrantes - entre eles dois irmãos de Bell - ainda não quiseram se pronunciar sobre a separação, mas membros da equipe falam que já há uma lista de cantores sendo elaborada. Todos com alguma experiência à frente de grupos de axé, mas em início de carreira. A ideia, segundo um dos integrantes, é não tentar revigorar o Chiclete - e evitar a concorrência com Bell.

O cantor, por sua vez, passou o dia evitando contato com imprensa e fãs. Mesmo nas redes sociais - pelas quais ontem respondeu a dezenas de mensagens -, Bell não quis comentar mais a separação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.