Carlos Pupo/Estadão Conteúdo
Carlos Pupo/Estadão Conteúdo

Andre Matos, das bandas Angra e Shaman, morre aos 47 anos

Músico estava em turnê com o Shaman, e o último show foi em São Paulo no domingo, 2; causa da morte ainda não foi divulgada

Redação, O Estado de S. Paulo

08 de junho de 2019 | 14h48

O músico Andre Matos, das bandas Angra e Shaman, morreu neste sábado, 8, aos 47 anos. A informação foi divulgada por membros do Shaman nas redes sociais e confirmada pelo Estado com assessores de imprensa ligados à banda. A causa ainda não foi divulgada oficialmente.

"O destino nos uniu, nos separou, nos reuniu e agora pregou mais essa com a gente. É com profunda dor em nossos corações que nos despedimos do Andre mais uma vez, desta vez de forma definitiva. Além da ferida que jamais cicatrizará, e mesmo sabendo que passamos momentos gloriosos junto ao nosso companheiro e amigo, restará pra sempre o melhor dele em nossos corações", diz a nota oficial assinada pelos membros do Shaman, divulgada na página da banda.

A banda estava em uma turnê de reunião desde setembro de 2018, tendo passado por diversas cidades brasileiras. O último show ocorreu no domingo, 2, no Espaço das Américas, em São Paulo. 

Andre Matos era reconhecido como um dos maiores vocalistas do metal brasileiro.

Ele nasceu em São Paulo em 14 de setembro de 1971, e ficou conhecido pelo seu trabalho a frente das bandas Viper, Angra e Shaman, bem como pelo seu trabalho solo, desenvolvido desde 2006. 

Estudioso de teclado e piano desde a infância, Matos se graduou em regência orquestral e composição em São Paulo. Mesmo antes, ainda adolescente, já vinha ganhando reconhecimento com o Viper, banda de heavy metal formada com amigos de escola.

Em 1991, fundou o Angra. A banda fez turnês pelo mundo inteiro e suas mais de um milhão de cópias vendidas deram a Matos projeção mundial. Foram três álbuns gravados: Angels Cry (1993), Holy Land (1996) e Fireworks (1998), além de diversos EPs, que consolidaram o grupo no cenário global do metal melódico. Em 1994, Matos foi cotado para subsitituir Bruce Dickinson como vocalista do Iron Maiden, mas a vaga ficou com Blaze Bayley.

Em 2000, Matos sai do Angra por divergências com o empresário e forma o Shaman, ao lado de Luis Mariutti e Ricardo Confessori, também ex-membros do Angra, grupo com o qual lançou dois discos. Seu trabalho lançado mais recente foi o disco The Turn of the Lights (2012), o terceiro de sua carreira solo.

Nas redes sociais, colegas e amigos lamentaram a morte do músico.

"Não há palavras neste momento que descrevam o tamanho do vazio deixado nos corações dos que o amaram de perto e de longe. O Brasil perde um talento insubstituível do gênero Heavy Metal e com ele morre a esperança de vê-lo em nossos palcos novamente", diz parte da nota oficial divulgado na página do Angra. "O André foi imprescindível para o sucesso e consagração desta banda. A contribuição de seu talento e presença é inestimável." 

"Estou devastado pela trágica notícia da morte do meu amigo André Matos, com quem eu dividi o palco apenas cinco dias atrás. Estou em choque", disse o vocalista da banda Avantasia, Tobias Sammet.

Edu Falaschi, ex-membro do Angra, escreveu: "Um dia que ficará na história por marcar uma das perdas mais impactantes para o mundo do Heavy Metal mundial, os meus mais sinceros pêsames para toda a família Matos e seus companheiros de banda".

"Você inspirou uma legião de fãs, incluindo eu", relatou o vocalista Alirio Netto. "Seu talento será eterno. Vai em paz e live forever more."

O músico e apresentador João Gordo postou uma imagem com Matos e disse: "semana passada em Joinville nos abraçamos e rimos... Faziam alguns anos que a gente não se via. Você não pode ir embora assim...".

Ouça algumas canções da carreira de André Matos:

Tudo o que sabemos sobre:
André Matos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.