Agência Zero
Agência Zero

Anavitória abre o Rock in Rio Lisboa em clima de 'paz e amor'

O público chegou cedo neste primeiro dia de Rock in Rio Lisboa, que neste sábado tem como shows principais as bandas Muse e Bastille

Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo

23 Junho 2018 | 17h01

LISBOA - O trevo de quatro folhas cantado pela dupla Anavitória deu às jovens do Tocantis muito mais do que sorte na vida artística. A estreia das cantoras no Rock in Rio Lisboa, neste sábado, 23, superou as expectativas delas próprias. Convidadas para abrir o Music Valley, o segundo palco do festival, Ana e Vitória, na sequência, subiram também ao Palco Mundo, o principal, para uma participação no show do cantor português Diogo Piçarra. “Trevo (tu)”, o hit das moças, de 23 anos e três de carreira, ganhou coro do público nas duas ocasiões.

“Foi muito lindo. Esta é a primeira vez que levamos nosso show para fora do País, o show como ele é na turnê, com banda. Foi uma experiência única e bizarra”, Ana tentava descrever terminada a segunda apresentação, às voltas com entrevistas para jornalistas portugueses e brasileiros.

O primeiro show foi às 17 horas, quando a sensação térmica no vale da música era de um dia de sol no Rio (a diferença é que nas tardes de verão em Lisboa o sol só some por volta das 21 horas). Ao fim, Ana e Vitória correram para o Palco Mundo para atender ao chamado de Piçarra.

Elas estavam ansiosas e se surpreenderam com a boa recepção dos portugueses, que disputavam espaço nas poucas áreas de sombra para assisti-las. “Eu super entendo as pessoas não quererem ficar com o solzão no rosto. Mas tinha muita gente guerreira. Estava todo mundo entregue”, festejou Vitória.

+++ Rock in Rio chega a sua oitava edição em Lisboa

As letras românticas de Coração carnaval, Fica, Chamego meu, Eu quero ir, Singular e Barquinho de papel e o clima da abertura do festival, abrigado pelo Parque da Bela Vista, numa colina, deram ao fim de tarde um clima “paz e amor”. Descalças, com maquiagem leve e roupas com transparências e brilho discretos, a dupla demonstrava estar se divertindo em ambas as apresentações. “Vamos ‘se’ aproveitar, vamos ‘se’ amar””, conclamava Ana.

Os fãs portugueses as descobriram quando Piçarra gravou com elas “Trevo (tu)”, música desde o ano passado tocada nas rádios e no comércio de Lisboa. "Conheci primeiro esta e depois fui buscar mais no YouTube. O trabalho delas tem doçura e sutilezas. Vim ao Rock in Rio pelo Muse também, mas ainda mais pela Anavitória", explicava a adolescente lisboeta Inês Teixeira, de 14 anos, com quase todas as letras na ponta da língua.

O elo entre o cantor e as brasileiras se deu via gravadora, a Universal, e o convite para o Rock in Rio partiu desse encontro musical prévio. Nome grande da música portuguesa atual, desde que venceu o programa de TV “Ídolos”, em 2012, Piçarra mobilizou a plateia sob o sol com sucessos como Dialeto, O tempo e Tu e eu.

As duas cantoras irão estrear como atriz, no filme Ana e Vitória, uma “comédia romântica musical sobre relacionamentos modernos”, conforme o cartaz já anuncia, com forte componente biográfico – as personagens delas são aspirantes que tentam a vida de artista na cidade grande.

As filmagens duraram um mês. O diretor é Matheus Souza, jovem diretor de Apenas o fim e Eu não faço a menor ideia do que eu tô fazendo com a minha vida. As duas atuaram sem terem feito aulas preparatórias.

O público chegou cedo neste primeiro dia de Rock in Rio Lisboa, que neste sábado tem como shows principais as bandas Muse e Bastille. É a forma de se aproveitar as atrações além-música, como a tirolesa de 180 metros, a roda-gigante e o palco com presença de youtubers.

São esperadas nesta oitava edição do festival na capital portuguesa 80 mil pessoas em cada um dos quatro dias. Neste domingo, 24, a carioca Anitta estreia no Palco Mundo, antes dos shows de Demi Lovato e Bruno Mars. O cantor havaiano fez esgotar os ingressos desta data.

Curiosamente, não se veem pelo parque torcedores com a camisa da seleção portuguesa, apesar da paixão nacional pela Copa do Mundo, de forma geral (as bandeirinhas estão pelas ruas, como no Brasil, só que em menor quantidade), e pelo astro do futebol Cristiano Ronaldo, em particular.

*A repórter viajou a convite do festival.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.