Divulgação
Divulgação

Análise: Lamúrias da guitarra de J Mascis (ainda) funcionam em novo disco do Dinosaur Jr.

Banda lançou o álbum 'Give a Glimpse of What Yer Not', o 11º da carreira

Pedro Antunes, O Estado de S. Paulo

10 de agosto de 2016 | 04h00

Você não precisa entender 100% de tudo que J Mascis canta para conseguir se conectar com Dinosaur Jr. – acredite, até aquelas nativos da língua inglesa têm dificuldade para compreender algumas das palavras ou, às vezes, versos inteiros. O que lhe falta em dicção sobra no comando da guitarra nas mãos. São marcas registradas de um dos melhores a produzir música alternativa – e esquisita – desde meados da década de 1980. 

Give a Glimpse of What Yer Not é o 11.º disco de Mascis, Low Barlow e Murph, o quarto desde que o trio se reuniu para dar uma nova vida ao Dinosaur Jr., em 2007. Maturidade de chegar aos 50 anos não cristalizou o som da banda – e isso já é um alívio e tanto para quem se acostumou a ouvir os ruídos carregados de álbuns pré-término, como You’re Living All Over Me (1987) e Bug (1988). Mascis e companhia são barulhentos, quase punk rockers, logo na faixa de abertura do álbum. 

Going Down é uma pancada sobre a descida ao fundo do poço – uma temática sombria à qual Dinosaur Jr., e seus fãs, já estão acostumados. “Você estará comigo quando eu for embora?”, pergunta Mascis na música que escancara o vigor de suas guitarras e a pressão exercida, ao fundo, por Barlow e Murph. O mesmo se dá em Tiny, single do disco e faixa mais fácil de cair no gosto dos fãs. 

Give a Glimpse of What Yer Not é um disco de corações partido. Mais um. É, além de tudo, sobre a força necessária para se distanciar daqueles que nos fazem mal. Be a Part pisa no freio e não tem medo da pieguice. É quando o álbum, tão vigoroso, entra no mesmo melancólico embalo de hits passados da banda, como Stop Choppin’ e Feel The Pain, canções da safra noventista deles. Love is... e Left/Right, ambas criações de Barlow para esse novo trabalho, mais curam do que machucam graças à voz doce do baixista. Bastante diferente do que Mascis costuma entregar. Ele parece ter um gosto sádico pela dor, como se ouve em Knocked Around: “Sinto a sua falta o tempo todo”, canta ele. 

Sabe-se o que esperar do trio. “O que ele canta naquela parte, mesmo?”, você vai perguntar ao amigo antes de exclamar: “Não importa, preste atenção nesse solo incrível!” Give a Glimpse of What Yer Not é capaz de produzir situações como essa. Não é uma surpresa, levando-se em conta a boa sequência de discos que a banda vem criando desde que voltou, em 2007. Uma não surpresa, mas boa. 

Tudo o que sabemos sobre:
Música

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.