Altos e baixos de cerimônias recentes do Grammy

A cerimônia do Grammy é a maior festa da indústria fonográfica dos Estados Unidos, mas o evento há muito tempo perde a corrida do ibope para o programa American Idol. No ano passado, os dois programas competiram no mesmo horário em uma quarta-feira, com Idol atraindo quase 29 milhões de telespectadores, enquanto o Grammy teve seu pior índice da história, com 17 milhões de espectadores, segundo a Nielsen Media Research. O Grammy, que irá ao ar no domingo, em Los Angeles, sem concorrentes de peso no mesmo horário na televisão, pode não ter muitos cantores desafinados nem jurados cruéis, mas de vez em quando tem seus bons momentos. Veja: 2006 - A banda de rock irlandesa U2 recebeu cinco prêmios, incluindo melhor disco. O recluso pioneiro do funk Sly Stone fez sua primeira aparição pública em quase 13 anos, durante um tributo de astros à sua banda, Sly and the Family Stone. Mariah Carey, indicada em oito categorias, levou apenas três estatuetas para casa. 2005 - Ray Charles ganhou cinco prêmio póstumos. John Mayer recebeu o prêmio de melhor canção, e fez piada, dizendo que dividiria a base da estatueta com a indicada Alicia Keys. A banda pop Maroon 5 ficou constrangida ao vencer do rapper Kanye West na categoria melhor revelação. 2004 - O cantor de R&B Luther Vandross, recuperando-se de um derrame, ganhou quatro Grammys. A banda gótica Evanescence, com seus membros brigados, foi escolhida como melhor revelação. O rapper 50 Cent, indicado na categoria, invadiu o palco, furioso com a derrota. 2002 - A trilha sonora de música country bluegrass do filme cult E Aí, Meu Irmão, Cadê Você? foi a vencedora surpresa na categoria melhor disco, roubando a cena de lançamentos de U2 e Bob Dylan. 2001 - O dueto de rock Steely Dan recebeu o Grammy de melhor disco, passando para trás o favorito, Eminem, que se defendeu de acusações de homofobia ao cantar ao lado de Elton John. 2000 - O virtuoso da guitarra Carlos Santana ganhou oito Grammys, igualando o recorde de Michael Jackson por Thriller. Mas a grande notícia foi o vestido decotadíssimo de Jennifer Lopez, uma criação de Versace. 1998 - Um artista sem camisa e com as palavras "Soy Bomb" (bomba de soja) escritas no peito pulou no palco durante a apresentação de Bob Dylan. Depois, o rapper Ol´ Dirty Bastard interrompeu o discurso de um ganhador, Shawn Colvin, para declarar que o seu coletivo de rap, o Wu-Tang Clan, deveria ter sido escolhido para o prêmio de melhor disco, em vez de Sean "Puffy" Combs.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.