Alicia Keys diz não ser uma 'teoria da conspiração'

Cantora esclarece 'comentários mal-entendidos' sobre entrevista recente onde teria criticado o rap

Associated Press,

15 de abril de 2008 | 19h56

Em comunicado divulgado nesta terça-feira, 15, a cantora Alicia Keys disse estar esclarecendo "os comentários feitos durante sua recente entrevista à revista Blender desde que eles foram mal-entendidos". Segundo a entrevista, que estará na edição de maio da revista, a cantora de 27 anos teria dito que "'rap de gângsteres' é uma tática para convencer pessoas negras a matarem uns aos outros. 'Rap de gângsteres' não existia". Ela ainda foi citada por supostamente ter dito que usava um pingente em forma de fuzil AK-47 para "simbolizar a força e poder na morte."   Veja também: Alicia Keys mostra os dois prêmios conquistados no Grammy Awards   "Nos sustentamos a história", disse a porta-voz da revista, Kate Cafaro, nesta terça-feira. "Meus comentários sobre o 'rap dos gângsteres' não estavam tentando sugerir que o governo é responsável por criar esse gênero do rap", declarou a cantora, em comunicado divulgado por sua gravadora.   "A questão é que eu estava tentando dizer que o termo foi visto erroneamente por alguns da imprensa, causando reações que nem sempre são positivas. Muitas das letras dos 'raps dos gângster' estão ligadas aos problemas dos artistas, das experiências que eu acredito ser de todos nós, incluindo nossos líderes, que poderiam fazer mais para combater as drogas, a violência das gangues, o crime e outros problemas sociais."   Sobre o pingente, Alicia disse que AK-47 é um apelido que lhe foi dado por seus amigos "como um acrônimo para Alicia Keys e uma metáfora para as pessoas impressionadas com minha música e performance, 'matando todas' no palco. A referência não tem uma conotação política, literal ou negativa."   A artista responsável pelos hits Fallin' e No One recentemente obteve sucesso com seu último álbum, As I Am (2007), que vendeu mais de 3,4 milhões de cópias, de acordo com a companhia Nielsen Soundscan.

Tudo o que sabemos sobre:
Alicia Keys

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.