Alceu Valença reaparece intimista e acústico

Acompanhado de violoncelo, violão de 12 cordas, guitarra e percussão, o compositor Alceu Valença aventura-se no formato acústico, hoje e amanhã, no Tom Brasil. O público acostumado a ver o músico em um desempenho sempre explosivo e turbinado pelos ritmos nordestinos, como frevo, baião, xote e maracatu, terá a chance de conferir uma perfomance mais introspectiva.Alceu mostrará suas composições mais conhecidas, como Coração Bobo, Morena Tropicana, La Belle De Jour e Como Dois Animais em arranjos novos e suaves, para realçar o teor de suas letras. Nessa apresentação diferenciada, o roteiro não é definitivo e surpresas devem aparecer. O músico não descarta a possibilidade de presentear o público com músicas inéditas e versões para músicas de outros compositores. Homenagens a seus maiores ídolos, Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro também são cogitadas.Ele faz os shows acompanhado pelos músicos Paulo Raphael (violão de 12 cordas e guitarra), Edwin de Olinda (percussão) e Lui Coimbra (violoncello). O show vai tirar Alceu temporariamente do estúdio, onde ele está preparando um novo disco, com lançamento previsto até o final do ano.Para comemorar 30 anos de carreira, ele está se dedicando à gravação do novo álbum, que será o 21º de sua obra - que teve em 1982 o ápice de popularidade, com o disco Cavalo de Pau. Seu último disco, Forró Lunar, foi lançado no ano passado e trazia dez novas composições - entre elas, Quando Fugias de Mim, uma parceria com Emmanoel Cavalcanti.De seu próximo disco, o pernambucano antecipa apenas que serão oito músicas inéditas e oito regravações. Enquanto esperam o novo álbum, os fãs do músico têm nos shows do final de semana uma grande chance de assistir ao ídolo em uma apresentação que foge à regra de seus shows costumeiros. Com um pouco de sorte, eles ainda podem voltar para casa conhecendo, em primeira mão, algumas das faixas inéditas que estarão presentes no próximo disco.Acústico, com Alceu Valença, hoje e amanhã, às 22h, no Tom Brasil (r. Olimpíadas, 66. Tel. 3845-2326). Preços: de R$ 30,00 a R$ 60,00.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.