Akon faz aparição surpresa no show de David Guetta no Morumbi

Guetta é um dos mais requisitados DJ da atualidade - o segundo melhor do mundo, de acordo com a DJ Mag

Rafael Andrade, do Estadão.com.br,

04 Novembro 2010 | 21h30

David Guetta surpreendeu o público que veio ao Morumbi para assistir à performance do DJ nesta quinta-feira, 4. No final da apresentação, o francês chamou ao palco o cantor Akon, para a música Sexy Bitch. Guetta fez o show de abertura do encerramento da turnê The E.N.D., do Black Eyed Peas, no Brasil. O grupo de Fergie e Will.I.am se apresenta daqui a pouco.

 

Guetta é um dos mais requisitados DJ da atualidade - o segundo melhor do mundo, de acordo com a DJ Mag, atrás apenas do tetracampeão Armin van Buuren. Aos 42 anos, também atua como produtor musical. É um dos responsáveis por tirar a música eletrônica do reduto underground e levá-la para o mainstream.

 

A popularidade e o crisma do francês puderam ser acompanhada de perto no Morumbi. Ele subiu às 20h02 ao palco montado no estádio. "Toda vez que saio em turnê, e venho ao Brasil, digo: o Brasil é meu lugar", afirmou, arrancando gritos da plateia, que ainda ocupava aos poucos o Morumbi. "Vim aqui para tentar aquecê-los para o Black Eyed Peas!", continuou.

 

E então Fergie surgiu de repente no palco para cantar Gettin' Over You. Mas ficou só para a abertura. Disse que reencontrava a plateia mais tarde, pediu que o público aproveitasse a apresentação do DJ e saiu de fininho.

 

Guetta fez uma sequência animada de hits, com músicas lançadas por ele há algum tempo, como Love is Gone e The World is Mine. Produções antigas, mas não menos populares que a recente Memories, feita em parceria com Kid Cudi. No set, Guetta também abriu espaço para One, dos colegas da Swedish House Mafia.

 

Desde Just a Little More Love (2002), que trouxe o francês à luz do cenário pop, foram quatro discos de inéditas. O último dele, One Love, foi lançado em 2009. Ao todo, já vendeu três milhões de álbuns e 15 milhões de singles. Em 2010, Guetta foi indicado ao Grammy por I Gotta Feeling, gravada em parceria com a banda para o qual abre esta noite aqui no Morumbi, o Black Eyed Peas. Mas venceu com outra música, When Love Takes Over. O single tem o vocal da ex-Destiny's Child Kelly Rowland, e foi uma das músicas tocadas no rádio entre 2009 e 2010.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.