Airto Moreira em dose tripla em São Paulo

O percussionista Airto Moreira, de 65anos - 40 deles vividos nos EUA com a sua mulher Flora Purim -,tem três encontros marcados com o público brasileiro: nesta quarta-feira, 11, no Teatro Cultura Artística, ao lado da Banda Sinfônica, e nos dias 19 e 20 no Sesc Pinheiros ao lado de sua banda. Airtoparece ter abreviado o intervalo de seus shows no Brasil. Aúltima vez em que se apresentou por aqui foi na turnê nacionalda cantora Flora, que divulgava seu então novo CD, Speak noEvil, há coisa de três anos. Suas aparições já foram mais raras Se fosse por vontade própria, o percussionistacatarinense, decerto, incluiria mais vezes o Brasil em suaagenda de shows. Certa vez, durante uma entrevista, ele sequeixou da falta de interesse dos organizadores de eventos efestivais em trazer músicos brasileiros radicados no exterior.Na ocasião, disse que aquilo se tratava de ?preconceito aocontrário?: fechavam-se as portas para os brasileiros e rolavamo tapete vermelho para os estrangeiros. Hoje, ele acredita que a situação tenha melhorado umpouco, mas muitos empresários do ramo ainda preservam essamentalidade. "Cheguei à conclusão de que eles pensam da seguintemaneira: músico brasileiro tem muito por aqui; músico de jazz,se quiserem, mandam vir americano; e se querem rock da pesada,trazem grupos ingleses", afirmou ele em entrevista, já no Brasil cumprindo uma maratona de ensaios e de divulgação dos shows."Às vezes, esses grupos estrangeiros que vêm nem são conhecidosno exterior." Mas Airto não parece do tipo de músico auto-exilado quefica reclamando da vida, de seu País. Só o fez depois de serincitado pela repórter. Tanto que lembrou das recentesapresentações no Brasil do pianista Eumir Deodato e dotrombonista Raul de Souza, que também moram no estrangeiro háanos. Disse que gosta do País, aprecia o povo brasileiro, queele e Flora mantêm uma casa por estas bandas e os dois vêm paracá, pelo menos, uma vez por ano. "Temos escritório, empresários,advogados, contatos lá nos EUA. Hoje mesmo, se quisermos mudarpara cá, tudo bem, porque tem gente boa aqui para isso. Maspreferimos ficar um pouco lá e um cá e viajando o resto do tempofazendo shows."Repertório O casal fica no Brasil até fim do mês. Eles planejamvisitar parentes, amigos e tudo mais, e, claro, Airto tem seuscompromissos em São Paulo. Nesta quarta, estará muito bem acompanhadopor 82 músicos da Banda Sinfônica, formada por percussão, piano,harpa e sopros, abrindo a Temporada de Assinaturas 2007. Não é aprimeira vez que Airto sobe ao palco com orquestras, sinfônicas.Já teve outras oportunidades em países como Alemanha e EUA. Masgarantiu que, desta vez, a experiência será diferente. "Dasoutras vezes, deu certo, mas agora sinto que não preciso ficarmuito preocupado em seguir como eles estão tocando." Durante os ensaios, percebeu quanto os integrantes daBanda estão habituados a tocar com músicos de outras estirpes,de outros estilos. "Com eles, toco da mesma maneira como seestivesse com meu conjunto, mas há horas que você percebe o pesode mais de 80 músicos. É muito diferente. Tem de ficar calmo etocar", descreveu Airto, que, mesmo com toda experiênciaadquirida em décadas e parcerias com nomes de peso, como MilesDavis e Chick Corea, não se furta do direito de sentir umfriozinho na barriga de vez em quando. O repertório já foi definido e rearranjado: Coalhada,de Hermeto Pascoal, além de três músicas de própria autoria:Misturada, Tombo em 7/4 e Primeira Estrela. "É muitoimportante que nosso convidado tenha uma história forte. Osmúsicos da Banda têm de aprender com essa personalidade",descreveu o maestro Abel Rocha. Antes de o músico assumir opalco, o jovem pianista André Mehmari estréia como compositorresidente da Banda Sinfônica e sua primeira peça será "FrevoRasgado". Airto já tinha ouvido falar de Mehmari, mas nuncaescutara nada do jovem músico até receber material dele."Realmente, foi uma surpresa boa." Já nos dias 19 e 20, o percussionista estarácompletamente à vontade, ao lado de sua própria banda. Além dotecladista Marcos Silva, do saxofonista Marcelo Martins, dobaixista americano Gary Brown (que, segundo Airto, é o melhorbaixista de que se tem notícia tocando música brasileira), elecontará com sua filha Diana Booker nos vocais. Compositora,cantora, instrumentista e professora de música, Diana segue ospais na estrada desde os 14 anos, mas só agora faz sua estréianum palco brasileiro. Desta vez, sua mãe Flora preferiu apreciaro show de uma perspectiva um pouco diferente da que estáacostumada: ficará instalada na platéia, enquanto marido e filhaarrematarão as atenções da platéia. No repertório, um pouco do velho e bom Airto, em suaessência e musicalidade: Ritmo do Mundo, O Túnel, Baba andMalonga went home, Fica Mal com Deus, Hala Thumba andTimbal, Mulata e Futebol, Let it out Let it in, entreoutras. Fora isso, o músico está, como sempre, às voltas comnovas músicas, gravadas sem pressa, e projetos pelo mundo afora.Airto Moreira. Teatro Cultura Artística. Rua Nestor Pestana, 196 tel. 3258- 3616. Hoje, 21 h. R$ 18 a R$ 40 Sesc Pinheiros.Rua Paes Leme, 195, telefone 3095-9400. Dias 19 e 20, às 21 h.R$ 10 a R$ 20

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.