Advogado denuncia violação dos direitos de Britney Spears

Jon Eardley também denunciou que o pai da artista, Jamie Spears, lhe impediu de falar com seus amigos

EFE

23 Fevereiro 2008 | 02h07

Um advogado que afirma representar a cantora americana Britney Spears denunciou nesta sexta-feira a violação dos direitos federais de sua cliente.   Em um documento apresentado perante um tribunal de Los Angeles (Califórnia), o advogado Jon Eardley também denunciou que o pai da artista, Jamie Spears, lhe impediu de falar com seus amigos.   O advogado, que disse ter sido contratado por Spears em meados deste mês, disse que tentou falar com ela em várias ocasiões. "A última vez que (Britney) tentou me ligar, lhe tiraram o telefone e no dia seguinte desligaram o número", assinalou.   "Estão negando seus direitos fundamentais de livre associação e de usar telefones e outros meios de comunicação com o mundo exterior", afirmou. No início deste mês, um tribunal da Califórnia outorgou a tutela legal da artista a seu pai, o que automaticamente lhe deu o controle sobre seus assuntos profissionais e legais.   "Essa decisão a despojou de suas liberdades", manifestou Eardley. Os advogados de Jamie Spears assinalaram que Eardley não tem direitos de representação da cantora porque a sentença judicial deu a seu pai o controle sobre seus assuntos.   A juíza do Tribunal Superior de Los Angeles, Reva Goetz, decidiu esta semana prolongar a tutela do pai da cantora até o dia 10 de março, perante os "evidentes sinais de melhora de seu comportamento".

Mais conteúdo sobre:
Britney Spears

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.