Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
REUTERS/Mario Anzuoni
REUTERS/Mario Anzuoni

Advogado de Britney Spears pede para renunciar ao cargo 

Samuel Ingham representou a cantora durante 13 anos; "gostaria de escolher meu advogado", diz artista

Agência EFE, O Estado de S.Paulo

07 de julho de 2021 | 08h50

Samuel Ingham, o advogado nomeado pelo Tribunal de Los Angeles para representar os interesses de Britney Spears, pediu nesta terça-feira, 6, para se retirar da polêmica tutela legal que controla a vida da artista há 13 anos. Ingham atuou como advogado para Britney desde 2008, mas seu trabalho foi questionado depois que a artista disse, em seu último depoimento, que nunca soube que tinha o direito de pedir o término da tutela e que não tinha permissão para falar contra isso. 

"Tenho falado com ele três vezes por semana. Construímos uma espécie de relacionamento, mas não tive realmente a oportunidade de escolher pessoalmente meu próprio advogado. E gostaria de poder fazer isso", disse Britney, em sua declaração à mídia em 23 de junho. 

Agora, a juíza que supervisiona a tutela legal, Brenda Penny, terá de nomear um novo advogado ou dar a possibilidade de Britney de escolher ela mesma. Não é a única retirada da proteção legal após o testemunho da artista, já que o fundo de investimento que fiscalizava o patrimônio de Britney, da Bessemer Trust, também pediu para ser retirada da tutela após afirmar que "respeita" os desejos da cantora. 

E Larry Rudolph, o representante artístico da artista por 25 anos, quebrou seu contrato com a cantora, reconhecendo que a vontade dela é se aposentar da indústria da música.

“Essa tutela está pagando o salário de muita gente. Estou farta”, disse Britney, um dos argumentos com que ela pediu o fim da guarda. Apesar da insistência do artista, nem o advogado da cantora - agora se retirando - nem seu pai, Jamie Spears, formalizaram a petição para encerrar esse mecanismo legal que controla a vida pessoal e as finanças da intérprete de Toxic

Segundo apurou o jornal The New York Times, o advogado já ganhou US$ 3 milhões desde 2008 com este caso.

Além disso, fontes citadas pela revista The New Yorker denunciaram que Ingham tem sido mais fiel aos interesses do pai do que à da própria cantora. Atualmente, a tutela legal é dividida em duas partes: a área financeira, controlada por Jamie Spears e a empresa Bessemer Trust, e a área pessoal, protegida por uma advogada chamada Jodi Montgomery. A próxima audiência será no dia 14 de julho sem a participação da artista.

Britney Spears não se apresenta ou lança músicas novas desde 2018. Em janeiro de 2019, ela anunciou um "hiato de trabalho indefinido", citando a saúde de seu pai. 

No tribunal no mês passado, Spears disse que havia sido pressionada para as fazer essas apresentações planejadas e também uma turnê. Ela descreveu ser forçada a semanas de avaliações médicas involuntárias e reabilitação depois de criticar a coreografia, durante um ensaio. 

"Não estou aqui para ser escrava de ninguém", disse Spears. “Eu posso dizer 'não' a um movimento de dança.” Ela ainda disse à juíza: “Meu pai e qualquer pessoa envolvida nesta tutela e na minha gestão desempenharam um grande papel em me punir quando eu disse 'não' - meretíssima, eles deveriam estar na prisão.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.