Adele faz gesto obsceno após ser interrompida no Brit Awards

A cantora Adele comprou uma briga com o mundo dos tabloides na quarta-feira e fez executivos da TV se apressarem para atenuar um gesto que ela fez, mostrando o dedo do meio da mão, em protesto depois que seu momento de destaque no maior prêmio do pop britânico ser reduzido devido ao cronograma.

MIKE COLLETT-WHITE, REUTERS

22 de fevereiro de 2012 | 12h19

A jovem de 23 anos estava no meio de um breve discurso na 02 Arena lotada, em sua cidade natal Londres, após receber o grande prêmio de melhor álbum britânico pelo disco que está no topo das paradas "21".

Porém, devido ao atraso do espetáculo, que estava sendo transmitido ao vivo na ITV, o apresentador James Corden interrompeu Adele para apressá-la, o que levou a cantora a fazer o gesto.

O jornal The Sun, diário britânico mais vendido, colocou uma foto do momento na capa com a manchete "Someone Dislikes You" (Alguém não gosta de você), em referência a sua canção de sucesso "Someone Like You".

O concorrente Mirror também colocou uma imagem parecida com os dizeres "Adele: Go to hell" (Adele: Vá para o Inferno).

Nos bastidores após o espetáculo da maior noite do pop britânico, Adele disse que estava chateada com a interrupção.

"Eu mostrei o dedo, mas não era para os meus fãs", disse ao Sun. "Desculpe se ofendi alguém, foram os 'engravatados' que me ofenderam."

Ambos a ITV e o Brit Awards pediram desculpas após o show, que terminou com um tom amargo do que teria sido mais uma noite triunfante para Adele.

Vencedora de seis Grammy nos EUA no início do mês e após voltar às apresentações ao vivo depois de fazer uma cirurgia nas cordas vocais no ano passado, Adele levou dois Brits - melhor artista feminina britânica e melhor álbum britânico.

Tudo o que sabemos sobre:
MUSICAADELEGESTOBRITAWARDS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.