Acusador diz ter visto sites pornôs com Jackson

O adolescente de 15 anos que acusa o astro pop Michael Jackson de tê-lo molestado sexualmente disse no tribunal que o cantor lhe mostrou sete sites com conteúdo explicitamente sexual num período de 15 a 30 minutos em seu rancho, Neverland. O incidente teria acontecido na segunda noite que o adolescente passou no rancho do cantor, em 2003.O depoimento do rapaz nesta quarta-feira foi a primeira vez em que ele ficou frente a frente com o cantor no tribunal, em Santa Maria, na Califórnia Ele depôs logo depois que seu irmão, de 14 anos, admitiu ter mudado sua versão dos incidentes no rancho Neverland porque estava nervoso. Jackson nega as dez acusações de abuso de menor e cárcere privado. Se condenado, o cantor pode receber uma sentença de até 21 anos de cadeia.Vestindo uma camisa azul, o rapaz que acusa Jackson começou por responder questões como seu nome, idade e nível escolar. O garoto respondeu "sim" quando o promotor Tom Sneddon perguntou a ele se reconhecia o cantor. Ele também contou que foi apresentado a Jackson pelo empresário da noite Jamie Masada. Na época, o rapaz estava fazendo um tratamento contra câncer.O adolescente falou sobre o fato de apanhar do pai, que também batia em sua irmã e em sua mãe. Ele descreveu também o que sentia quando teve câncer. "Sentia como se houvesse uma faca em meu estômago", disse, acrescentando que costumava abraçar um travesseiro para diminuir a dor.O adolescente também contou que Jackson teria lhe orientado a dizer em um programa feito por uma TV britânica que tinha sido curado do câncer com a ajuda do cantor. No vídeo, Jackson pode ser visto de mãos dadas com o menino, e fazendo um carinho nele. Segundo o rapaz, o astro pop teria lhe dito: "Vou pôr você em filmes e isso é o seu teste". A expectativa é de que o rapaz vá contar ao júri que foi molestado por Jackson em pelo menos duas ocasiões, em 2003.O irmão do rapaz, a única testemunho do suposto abuso, depôs nesta quarta-feira, pela terceira vez. Ele disse ter visto o cantor molestar seu irmão duas vezes no rancho Neverland. O principal advogado de Jackson, Thomas Mesereau, apresentou a transcrição de um depoimento que o irmão do acusador deu à polícia, e perguntou se seu relato sobre a suposta segunda vez em que o abuso ocorreu tinha mudado. "Na verdade, foram três vezes. Eu estava nervoso quando dei o depoimento", disse. Mesereau perguntou a ele: "Como você estava nervoso, não conseguiu apresentar os fatos corretamente, certo?". "Sim", respondeu o rapaz. Mesereau também sugeriu que a família do rapaz que acusa Jackson não ficou presa em Neverland contra a vontade por um mês, em 2003, como alegam os parentes do jovem. "Quantas vezes você acha que sua família escapou de Neverland, e depois voltou, para poder escapar de novo?", perguntou o advogado. "Não entendi a pergunta", disse a testemunha.O adolescente também contradisse sua irmã, que tinha afirmado que Jackson deu bebida alcoólica a ela. A irmã tinha dito que ela, seus irmãos e Jackson tinham bebido vinho na adega da casa, mas o jovem disse que o cantor deu vodca a sua irmã na cozinha. Na terça-feira, o irmão da suposta vítima admitiu ter mentido uma vez sob juramento. Durante uma sessão de meio dia nesta terça-feira, o adolescente foi interrogado sobre um processo anterior que sua família moveu contra a rede varejista JC Penney. Ele admitiu ter mentido sob juramento nesse caso, quando afirmou que seus pais nunca brigaram e que seu pai nunca tinha batido nele. A equipe de advogados de defesa está tentando mostrar a mãe dos meninos como alguém que os encoraja a mentir para fazer acusações falsas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.