Acusador de Jackson admite que ele nada lhe fez

O jovem Gavin Arviso, que acusa o cantor Michael Jackson de abuso sexual admitiu, nesta segunda-feira, ter dito a um de seus professores que nada de inapropriado aconteceu a ele no rancho Neverland, durante seu testemunho no Tribunal de Santa Bárbara, em Santa Maria, na Califórnia.O advogado de defesa do cantor Thomas Mesereau Jr. leu para o garoto a transcrição de uma entrevista do seu professor, Jeffrey Alpert. Mesereau citou as palavras do professor da Escola John Burroughs Middle, dizendo: "Olhe para mim, olhe para mim... Eu não posso ajudar você se você não me disser a verdade. Isso aconteceu realmente?" O garoto admitiu que sua resposta foi "não".Em outro momento, o jovem de 15 anos, que acusa o astro pop de 46 de tê-lo masturbado pelo menos duas vezes, em fevereiro ou março de 2003, depois de ter lhe dado bebida alcoólica no seu rancho Neverland, disse: "Eu contei ao Mr. Alpert que ele nunca fez nada para mim".Mesereau confrontou o adolescente com informações de sua ficha disciplinar dando conta de que ele era um recordista de mau comportamento na escola de Los Angeles, tendo discutido com nove professores. O rapaz admitiu que discutia com professores e era indisciplinado.A rede de TV ABC informou em seu programa Good Morning America, que tanto o advogado de defesa Thomas Mesereau Jr. quanto o promotor Thomas Sneddon conversaram no fim de semana com o professor em uma escola de Los Angeles, onde o adolescente estudava.Segundo a rede ABC, o professor disse que a longa conversa entre eles teria ocorrido em setembro de 2003, e que o adolescente lhe dissera que "nada de inapropriado ocorrera entre ele e Michael Jackson".A questão sobre o professor gerou uma forte discussão entre os advogados sobre o que exatamente o garoto teria dito ao promotor Tom Sneddon sobre a conversa com Alpert.O encontro entre o menino e o professor ocorreu depois de o documentário Living With Michael Jackson do jornalista Martin Bashir ser exibido na TV, e o período no qual o alegado abuso teria ocorrido, mas antes de Jackson ser indiciado.No documentário, Jackson é visto de mãos dadas com Gavin, que tinha 13 anos na época e sofria de um câncer no estômago. O cantor declarou que dormia com crianças, o que causou sérios danos à sua imagem. Jackson chegou pontualmente nesta segunda-feira, acompanhado dos pais e vestindo um blazer vermelho. Esta foi a primeira vez em que foi visto desde a semana passada, quando compareceu à corte de pijamas, alegando um sério problema de coluna e após ter recorrido a um hospital para receber medicamento apropriado. Jackson chegou à corte na quinta-feira para ouvir as acusações de Gavir Arviso nos últimos minutos do prazo dado pelo juiz para que ele comparecesse, sob pena de ser preso e ter confiscado os US$ 3 milhões que depositou como fiança. Hoje, Jackson estava vestido impecavelmente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.