David Swanson/EFE
David Swanson/EFE

'Acredito que os fãs merecem tudo', diz Billie Eilish, vencedora das principais categorias do Grammy

A cantora de 18 anos ganhou 5 prêmios no Grammy 2020, incluindo as quatro principais categorias: canção, álbum e gravação do ano, além de artista revelação

Redação, AFP

27 de janeiro de 2020 | 08h24

A cantora Billie Eilish dominou a cerimônia do Grammy 2020 celebrada no domingo, 26, e venceu cinco gramofones, incluindo as quatro principais categorias: canção, álbum e gravação do ano, além de artista revelação.

A cantora, de apenas 18 anos e que tem um público fervoroso, também venceu na categoria álbum pop por When We All Fall Asleep, Where Do We Go?.

"Acredito que os fãs merecem tudo", afirmou ao receber o terceiro gramofone durante a premiação. "Sinto que não se falou o suficiente sobre eles esta noite, porque são a única razão pela qual qualquer um de nós está aqui. Então, obrigado aos fãs".

O maior prêmio da indústria musical americana coincidiu com a morte do astro do basquete Kobe Bryant, vítima de um acidente aéreo que deixou todo o planeta de luto.

A cerimônia aconteceu no Staples Center, casa do Los Angeles Lakers, equipe que Kobe defendeu por 20 temporadas. Centenas de fãs compareceram ao local para prestar homenagem ao ídolo.

No início do evento, Lizzo e Alicia Keys dedicaram suas apresentações a Kobe Bryant, que morreu ao lado de sua filha de 13 anos na queda do helicóptero em que viajavam com outras sete pessoas na região de Los Angeles.

"Todos estamos sentindo uma grande tristeza, porque mais cedo Los Angeles, Estados Unidos e o mundo inteiro perderam um herói", disse Keys. "E estamos aqui, com o coração partido, na casa em que Kobe Bryant construiu".

"Sei que Kobe amava música e esta celebração acontece em sua homenagem".

A cerimônia teve apresentações de Eilish e de outras estrelas mais recentes, como Lizzo e Lil Nas X.

Os artistas mais novos são uma tentativa do Grammy de responder as críticas pela falta de diversidade.

Lizzo venceu em três categorias, enquanto Lil Nas X levou dois gramofones, a mesma quantidade que Lady Gaga.

Usher liderou um tributo a Prince e John Legend uma homenagem a Nipsey Hussle - que foi reconhecido com dois Grammys póstumos.

Tyler The Creator, Ariana Grande, Camila Cabello e Demi Lovato também subiram ao placo, assim como o grupo Aerosmith, homenageado na sexta-feira por sua longa carreira.

Em meio ao processo de reinvenção, o escândalo bateu à porta: Deborah Dugan, a primeira mulher a presidir a Academia de Artes e Ciências de Gravação, registrou uma denúncia por discriminação logo após ser suspensa do cargo.

Ela alega que foi forçada a deixar o cargo após alertar sobre casos de assédio sexual na Academia - entre os quais é considerada uma das vítimas -, além de irregularidades na votação e outras falhas dentro da organização, uma das mais influentes da música.

O tema, no entanto, não foi abordado durante a cerimônia, que falou apenas de Kobe e da música.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.