Acontece hoje penúltima eliminatória do Prêmio Visa

Alzira Espíndola nasceu no Mato Grosso e deslanchou na carreira artística em São Paulo, no bojo da vanguarda paulistana dos anos 1980, colecionando obras-primas com Itamar Assumpção (1949-2003). Natural de São Paulo, Guilherme Rondon (52 anos) fez o caminho inverso e sua música se identifica com a linguagem pantaneira. Dividindo dois instrumentistas - Luiz Waack (guitarra e violão)e Adriano Magoo (teclados e sanfona) - ambos se apresentam, em blocos individuais, nesta quarta-feira na quinta e penúltima eliminatória do 9.º Prêmio Visa de Música Brasileira - Edição Compositores, no Sesc Vila Mariana.Rondon, que já teve músicas gravadas por Almir Sater, Diana Pequeno, Sérgio Reis e até Sandy & Júnior, abre a noite interpretando "Paiaguás", parceria dele com Paulo Simões, vencedora do Prêmio Sharp na categoria regional em 1992. Em seguida, traz "Isso e Aquilo", que Nana Caymmi registrou no álbum Voz e Suor, ao lado de César Camargo Mariano, em 1987, e as mais recentes 1968 "Agora" e "Semente da Floresta" (ambas com Alexandre Lemos).O segundo candidato é um veterano homem do samba carioca, Wilson Moreira, que completa 70 anos em dezembro. Neto e sobrinho de jongueiros, Moreira, com poucos discos gravados, é autor de clássicos como "Coisa da Antiga" e "Senhora Liberdade", parcerias com Nei Lopes popularizadas por Clara Nunes e Zezé Motta, respectivamente. A música de Moreira vai além do samba, com elementos de jongo, calango, congada e samba-de-roda. Luciane Menezes é a cantora encarregada de interpretar as quatro composições que Moreira selecionou para esta fase do Visa: "Canção de Carreiro", "Okolofé" (ambas do álbum "Okolofé", de 2000), "Oloan" (do CD "Entidades 1", de 2002) e "Peso na Balança" (1986).Depois do bem-sucedido encontro com Alice Ruiz (Paralelas, 2005), Alzira Espíndola uniu-se a outro poeta, André Arruda, ou simplesmente Arruda. Filho da também poeta Eunice Arruda, ele estréia na música com Alzira, que vai cantar "Fácil", "Diz", "Assim Que Possível" e "Toda Tão". São todas canções inéditas da dupla que já prepara para registrar a parceria em CD. A banda que os acompanha, além dos já citados Waack e Magoo, terá Curumin (bateria e percussão), Pedro Marcondes (contrabaixo) e a própria Alzira no violão.Ladston do Nascimento, o último candidato da noite, já participou da edição anterior do Prêmio Visa dedicado aos compositores, em 2003. Com três CDs gravados (o primeiro, "Vida", de 1991), o compositor mineiro participou como intérprete de trilhas de Marcus Vianna (como a da minissérie da Rede Globo "A Casa das Sete Mulheres"). Nesta quarta-feira Ladston vai cantar duas músicas só dele ("Pequena Canção" e "Navio de Pedra") e duas divididas com Antônio Martins: "Um Falso Chorinho" e "Mater e Pater". Prêmio Visa. Teatro do Sesc Vila Mariana (608 lug.). Rua Pelotas, 141, 5080-3000. Hoje, 21 h. R$ 3 a R$ 6. Até 16/8

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.