Abril Pro Rock divulga programação

Há 10 anos que as atenções no mundo musical se voltam para um pequeno escritório da cidade do Recife (PE). Entre os meses de fevereiro e março, o empresário Paulo André divulga os nomes - reunindo artistas famosos e pouco conhecidos - que estarão em Recife e em São Paulo durante o Abril Pro Rock. O festival, um dos mais conceituados e importantes de música brasileira, chega à 10.ª edição trazendo 19 bandas para três dias de shows em Recife, e mais 11 grupos para cinco dias de apresentações no Olympia e no Sesc Pompéia. Para a segunda edição paulistana do festival (a primeira aconteceu ano passado), o empresário promete trazer a ótima banda de britpop Charlatans, o guitarrista americano Stephen Malkmus (ex-Pavement), os cariocas do Los Hermanos, além de uma noite só de música eletrônica e outra dedicada exclusivamente às bandas regionais. "Continuamos com a idéia de trazer propostas inéditas, sejam grupos reconhecidos lá do exterior ou bandas totalmente desconhecidas do Nordeste", diz Paulo André. "Este ano teremos Stephen Malkmus e Charlatans ao lado do grupo Mambujó, do interior de Pernambuco. Estamos sempre olhando para o futuro, sem medo de apresentar a novíssima geração." O primeiro Abril Pro Rock aconteceu em 1993 no Circo Maluco Beleza, em Recife. O slogan - "vá mesmo sem conhecer todas as bandas. Elas não conhecem você e vão" - definia perfeitamente o espírito do evento, que se tornou o maior centro revelador de novos talentos musicais do País. Entre as 12 bandas que inauguraram o festival, algumas acabaram se consagrando nacionalmente como Chico Science & Nação Zumbi e Mundo Livre S/A. "Depois do APR, muitos outros festivais surgiram, e criamos um público que até então não existia aqui em Recife", explica Paulo André. "Nunca um evento musical brasileiro chegou tão longe, e agora só queremos ressaltar tudo o que já foi feito". Até 1998, o festival costumava trazer somente grupos brasileiros. Nos anos seguintes, o APR foi globalizado, levando a Recife bandas como a belga dEUS (em 1996), Soulfly (em 2000), Asian Dub Foundation e Jon Spencer Blues Explosion (em 2001). "A internacionalização foi inevitável", explica Paulo André. "Acabaram as bandas de pop/rock brasileiras que não tinham passado pelo APR. Como não queríamos repetir, a saída foi chamar nomes de fora." Com o sucesso do APR de Recife, o festival migrou e ganhou em 2001 uma versão paulista, no Sesc Pompéia. "Fazer uma evento em São Paulo é bem mais ousado, pois não temos patrocínio", diz Paulo André. "O único objetivo para 2002 é trazer bandas com qualidade e quem sabe pagar os custos da produção". Confira a programação do Abril Pro Rock em São PauloDia 22 de abril, no Olympia, às 21h30:Los Hermano (RJ) e Charlatans (Inglaterra)Dia 24 de abril, na choperia do Sesc Pompéia, às 21h:Prot(o) (DF), Leela (RJ) e Stephen Malkmus(EUA)Dia 25 de abril, na choperia do Sesc Pompéia, às 21h: Pullovers (SP), Thee Butchers` Orchestra (SP) e Stephen Malkmus (EUA)Dia 26 de abril, na choperia do Sesc Pompéia, às 21h: Karsh Kale (EUA) e Digicay (França)Dia 27 de abril, na choperia do Sesc Pompéia, às 21h: Cabruêra (PB), Mambujó (PE), Vulgue Tolstói (RJ) e Jards Macalé (RJ).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.