Abril pro Rock começa<br>sexta no Recife

Começa sexta-feira, no Centro de Convenções de Pernambuco, na divisa do Recife com Olinda, a 9.ª edição do festival de música, o Abril pro Rock - que, ainda neste mês, terá pela primeira vez uma versão reduzida em São Paulo, no Sesc Pompéia. No conjunto, as atrações compõem um festival coerente com sua proposta alternativa, de revelar novos grupos e apontar tendências, dando uma injeção de criatividade no desgastado cenário pop e rock brasileiro. Segundo Paulo André, criador do festival e hoje à frente da sua produção, durante as oito edições do Abril pro Rock, cerca de 129 bandas passaram por ele - 58 eram pernambucanas e 7 provenientes de outros países. Neste ano, além de nomes que serão "descobertos" durante as apresentações, tanto no Recife quanto em São Paulo, vale destacar os shows de quatro atrações internacionais: Asian Dub Foundation, Amon Tobin, The Queers e Jon Spencer Blues Explosion. O Asian Dub é um grupo britânico, entretanto os integrantes são descendentes de indianos. O grupo ficou conhecido por fazer uma música de caráter político, que denuncia o racismo na indústria musical inglesa. Será a primeira vez que toca no Brasil e dividirá, no Recife, o palco com a Nação Zumbi. No Abril pro Rock, o conjunto toca as músicas do novo álbum Bustha. Em São Paulo, tocam no dia 27, no Sesc Belenzinho. O trio americano Jon Spencer Blues Explosion será outra atração marcante, especialmente, para uma turma fiel ao rock alternativo. O grupo é radical na formação instrumental, composta por duas guitarras e um kit de bateria. Uma idéia que dá certo há dez anos. Tocam em São Paulo no fim do mês. Em média, são sete shows por noite. Sexta-feira, tem a dupla Pinto e Rouxinol, D-Urb, Bonsucesso Samba Clube, Asian Dub Foundation, Nação Zumbi, O Rappa e o DJ Amon Tobin. No sábado, a noite mais pesada, tem Dolores del Fuego, Infierno, Ratos de Porão, The Queers e Raimundos. E no domingo, Ciranda de Baracho, Sa Grama, Textículos de Mary, Mopho, Brasov, Jon Spencer Blues Explosion, mundo livre s/a, Lobão e Arnaldo Baptista, os DJs Gabriel Muzak e Marcelinho da Lua.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.