Kevin Hagen/The New York Times
Kevin Hagen/The New York Times

Abaixo assinado de 22 mil pessoas quer impedir coral de cantar na posse de Trump

Integrante deixa Coro do Tabernáculo Mórmon para não cantar na cerimônia

Reuters

30 Dezembro 2016 | 21h00

Um integrante do Coro do Tabernáculo Mórmon saiu do grupo por causa dos planos para cantar na posse do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, e mais de 22 mil pessoas assinaram um abaixo-assinado se opondo à participação do coral.

Jan Chamberlin saiu depois de cinco anos no coro, que tem sua origem em Utah, nos EUA, por conta da cerimônia de 20 de janeiro, dizendo que “vai parecer que o coro está endossando tirania e fascismo ao cantar para esse homem”.

A três semanas da posse de Trump, a cantora clássica adolescente Jacki Evancho é a única celebridade que claramente aceitou ter um papel na cerimônia de posse.

"Eu simplesmente não posso continuar com os recentes desdobramentos. Eu não poderia nunca encarar a mim mesmo de novo”, escreveu Jan Chamberlin na sua carta de saída, que ela divulgou no Facebook na quinta-feira.

Em um movimento separado, uma petição online iniciada por Randall Thacker, um membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, também conhecida como Igreja Mórmon, tinha mais de 22 mil assinaturas nesta sexta-feira.

A petição diz que a participação do coro na posse de Trump não reflete os valores da Igreja e prejudicaria a sua imagem global.

A Igreja diz que a participação na posse é voluntária e nota que o coro, que tem sua sede em Salt Lake City, em Utah, já cantou nesse tipo de celebração para cinco presidentes republicanos no passado.

Eric Hawkins, porta-voz da Igreja, afirmou nesta sexta-feira que a reação pública aos planos para a posse “tem sido mista, com pessoas manifestando tanto oposição quanto apoio. A participação do coro não é um apoio implícito a partidos ou políticas. É uma demonstração do nosso apoio à liberdade, à civilidade e à transição pacífica de poder”.

O tenor italiano Andrea Bocelli sofreu uma forte reação negativa dos fãs nas redes sociais depois de relatos de que ele planejava cantar para Trump. Bocelli e o cantor country Garth Brooks desistiram de se apresentar na posse.

Organizadores negam que têm encontrado dificuldades para recrutar grandes nomes para a cerimônia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.