Anna HARVARD / TT NEWS AGENCY / AFP
Anna HARVARD / TT NEWS AGENCY / AFP

A$AP Rocky é liberado da prisão na Suécia e aguarda julgamento

Um dos rappers mais destacados do hip-hop americano está preso em Estocolmo desde o dia 3 de julho, depois de uma briga na rua

Redação, AP

02 de agosto de 2019 | 15h15

ESTOCOLMO — O rapper A$AP Rocky e dois outros suspeitos americanos serão liberados da prisão na Suécia até o dia 14 de agosto, quando juízes devem anunciar o veredito no caso de lesão corporal contra eles, de acordo com um tribunal sueco.

Não ficou claro na decisão da Corte Distrital de Estocolmo se os três indivíduos, cidadãos americanos, poderão sair do país europeu.

Os promotores solicitaram que o rapper de 30 anos cumpra uma sentença de seis meses. Rocky disse à corte que serviços comunitários seriam uma punição mais adequada.

Os acontecimentos vêm depois que uma testemunha do caso revisou seu depoimento inicial, dizendo à corte sueca que ela na verdade não viu o rapper americano usar uma garrafa para bater em um homem.

Depoimentos de testemunhas foram o ponto alto do terceiro dia do julgamento, em que Rocky e dois outros suspeitos eram acusados de bater em Mustafa Jafari, de 19 anos, no dia 30 de junho. O guarda-costas do rapper, Timothy Leon Williams, também testemunhou nesta sexta-feira, 2.

Se Jafari foi ou não agredido com uma garrafa foi um dos pontos chave no julgamento. O homem entrou em uma discussão com a equipe do rapper nas ruas de Estocolmo. Duas testemunhas mantiveram os depoimentos que viram que Rocky e sua equipe bateram e chutaram Jafari.

O depoimento do guarda-costas acrescentou que a situação ficou mais complicada por conta da barreira de linguagem entre os envolvidos. Ele disse que pediu para Jafari se afastar quando este se aproximou do grupo uma segunda vez.

"Eu sabia que algo estava errado com ele. Percebi porque sou um guarda-costas", disse Williams. "E de repente, estou olhando para ele, 'O que foi, cara?', e vi que seus olhos estavam brilhando, como se ele tivesse usado alguma coisa." O segurança disse então que pegou Jafari pelos ombros e o afastou do resto do grupo. Rocky também havia dito que Jafari e seu amigo estavam alterados, fato ainda não comentado pelas autoridades.

O rapper se disse inocente, e afirmou que agiu em defesa própria quando Jafari e outro homem estavam incomodando. Ele está preso desde o dia 3 de julho.

O julgamento criou um ruído nas relações diplomáticas entre Suécia e Estados Unidos, depois que o presidente Donald Trump se manifestou em apoio ao artista. Trump falou com o primeiro ministro sueco Stefan Lofven, oferecendo uma fiança para o rapper, mas Lofven disse que não poderia interferir num caso judicial.

O caso também atraiu atenção de diversas personalidades da música, como Diddy Combs e Justin Bieber, além de uma campanha nas redes sociais pedindo a liberação de Rocky.

Tudo o que sabemos sobre:
Suécia [Europa]músicaAsap Rocky

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.