A vez da veterana dupla inglesa dos Pet Shop Boys

Há 26 anos fazendo o mundo dançar numa cama elástica que balança ao som do techno, do pop, da disco, da house e da dance music, os Pet Shop Boys estão na cidade de novo. A dupla inglesa, que já veio ao Brasil nos anos 90 e em 2004, toca nesta quinta-feira, 16, e sexta, 17, no Credicard Hall, zona sul de São Paulo. O vocalista Neil Tennant, de 53 anos, que formou os Pet Shop Boys com o tecladista Chris Lowe em agosto de 1981, falou ao Estado por telefone, de Londres, na semana passada. "O show desta vez é bem diferente do de 2004. É um show multimídia, com mais eletrônica, projeções, um filme no meio, duas dançarinas. Foi bolado pelo designer Es Devlin, e é um grande espetáculo visual", avisou Tennant, um espírito satírico de risada fácil. Lamento Tennant "lamentou" não chegar a tempo a São Paulo para participar das manifestações contra George W. Bush, que ele chamou de "Gasolina George", às gargalhadas. "O mundo não se sente tranqüilo com ele à solta por aí. Assim como o mundo não se sente confortável com Tony Blair", disse Tennant, que fez uma música, I?m With a Stupid, no álbum Fundamental (2006), sobre a insistência do primeiro-ministro inglês em se aliar a Bush. Depois de tantos anos compondo, tocando e excursionando com Lowe em uma banda pop, o que mais poderia esperar do futuro um sujeito como Tennant? Ele responde sempre muito rápido. "Minha ambição no pop? Fazer sempre um grande show, e fazer coisas fora da banda também, sempre de um jeito criativo, desafiador." Entre essas coisas que faz "fora da banda", ele compôs a música deliciosa que impulsiona o sucesso do novo disco de Robbie Williams, Rudebox. "Eu amo você, baby, mas encare os fatos, ela é Madonna", diz a letra. "Foi algo rápido. Robbie veio até nosso estúdio alguns meses atrás, para pedir uma música. Chris fez a maior parte. A idéia lírica é algo que soe meio como Kraftwerk. Gosto do jeito dele cantando a música, ficou adorável na voz dele", contou Tennant. Produtor de Lisa Minelli Tennant é dos mais ativos produtores e performers do show biz inglês. Remixou recentemente uma música do The Killers, Read My Mind. Depois, em fevereiro, juntou-se a Jake Shears, o plumoso cantor do grupo Scissor Sisters, em um show, cantando um medley de Love Comes quickly (dos Pet Shop Boys) e It Can?t Come Quickly Enough (dos Scissor Sisters). Cantar com os "novatos" não é mais do que a seqüência de uma vocação, que começou lá nos anos 80, quando Tennant produziu coisas como o disco de Lisa Minelli. "Aquilo foi divertido. Quer dizer que Lisa vai à Argentina? Faz tempo que não a vejo. Tenho verdadeira fascinação por estrelas: Madonna, Lisa, David Bowie. É por gostar de estrelas que remixei a canção dos Killers. O nome do cantor, Brandon Flowers, não é nome de estrela? É um grande cantor, além de bonitão. E faz boas canções. Já o Scissor Sisters é muito original, adoro o jeito como cantam. Às vezes, soam como Madonna." Alguns anos atrás, Tennant fez uma canção, The Night I Fell in Love, sobre um adolescente gay, que também era uma espécie de resposta pública a declarações homofóbicas de Eminem - muito embora ele sempre tenha declarado gostar de Eminem e considerá-lo mais paródico do que perigoso. De qualquer modo, a homofobia nunca deixa de preocupá-lo. "Está crescendo. O Islã não é simpático aos gays, e há manifestações de homofobia em todo lugar. O prefeito de Moscou chamou de ?satânicas? as paradas gay, e as tem combatido com vigor. Ao mesmo tempo, novas paradas do orgulho gay vão acontecendo em todo lugar, mesmo na Rússia, na Letônia. Elton John e Scissor Sisters estão indo tocar na Rússia, o que é bom para as causas homossexuais. E outro dia ouvi uma coisa interessante de Vladimir Putin: ele disse que a queda nos altos índices demográficos na Rússia se devia à grande presença homossexual. Ele acha uma coisa boa." Carreira Os Pet Shop Boys lançaram em 2005 uma trilha especial para o filme mudo Encouraçado Potemkin, de 1925, encomendada pelo Instituto de Arte Contemporânea de Londres. Tennant disse que sua próxima incursão pelo palco será um balé de música eletrônica, no qual já estão trabalhando, a convite de uma companhia de dança inglesa. Estreará no próximo verão, afirmou. Tennant ainda elogiou uma das revelações da nova música inglesa, Amy Winehouse ("Ela já é uma estrela"), a poderosa percussão do Olodum, que utilizaram em disco de 1996 ("Toda batida de bateria no Brasil, é fascinante") e se divertiu lembrando de como, em 1975, duas semanas antes de se formar, começou a trabalhar como editor de quadrinhos na Marvel Comics. "Editava Homem-Aranha, Super-Homem. Era uma coisa de transição, mas foi muito divertido". A bordo de um trio elétrico de hits do passado (Domino Dancing, Always on My Mind, It?s a Sin, Being Boring, West End Girls) e de um disco mais fresco, Fundamental (2006), que a revista NME considerou o seu melhor dos últimos 10 anos, a diversão está na pista com os Pet Shop Boys.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.