A trilha de 'Celebration Day' comentada

Filme registrou o que pode ser a última apresentação da banda

Jotabê Medeiros - O Estado de S. Paulo,

11 Outubro 2012 | 07h00

Good Times Bad Times

Antes de começar, imagens antigas mostram a peregrinação pelo Led nos anos 1970. Vem o primeiro solo da Gibson de Page e Plant empunha o microfone e joga a cabeleira para o lado

Ramble On

Page sorri para Plant pela primeira vez. Plant e John Paul ficam lado a lado em solo de baixo, rindo, quebrando o gelo

Black Dog

O slide de Page começa a pegar fogo, mas ainda está longe da doideira. Deles, não se espera profissionalismo, mas levitação

In My Life of Dying

Em seus melhores blues, como esse, o filme enfatiza a dinâmica musical da banda, solos, harmonia entre voz e instrumentos, sem ‘macular’ com truques - closes do público só aparecem na sétima música.

For Your Life

"É a primeira vez dessa música em público", diz Plant. Nunca tocada ao vivo, é do álbum Presence. Parece uma banda com planos de futuro, mas eles nem sequer suportam mais a pergunta sobre uma próxima reunião

Trampled Under Food

Plant explica que essa é a versão Led de Terraplane Blues (Robert Johnson). Aqui Page estraçalha, é o solo mais bonito do show

Nobody’s Fault But Mine

Plant lembra que as Staples Singers fizeram essa música famosa, que os Blind Boys of Alabama a consagraram, mas que, antes de todos, ele a tinha ouvido com Blind Willie Johnson. A plateia delira

No Quarter

John Paul Jones no teclado, muito lirismo na guitarra de Page, voz processada de Plant

Since I’ve Been Loving You Plant talvez nunca mais cante essa de novo, não é mais pra ele, mas o esforço vale o show. Ao final, Page aperta seu braço

Dazed and Confused

Page já tirou seu coletinho e está suando em bicas, e também já não está mais controladinho. "Algumas canções tinham de estar aqui, e essa é uma delas", lembra Plant

Stairway to Heaven

Surge a guitarra de dois braços, Robert toca pandeiro. No fim da canção, Plant segura as nádegas com as duas mãos, demoradamente, e olha para o público. "Ahmet, Ahmet, nós fizemos!", diz

The Song Remains the Same O show fica descabelado, irresistível. A chama do Led Zep está de novo queimando. Bonham destroça sua Ludwig, já completamente ambientado

Misty Mountain Hop

O ‘espetacular’ Jason Bonham, na descrição de Plant, divide o microfone com ele nessa canção. Seus pais cantavam bem, Jason também, lembra o vocalista

Kashmir

Plant exibe nesse momento o pico de sua voz. Ao final, eles saem para o bis e Page passa a mão na cabeça de Bonham. Há uma reverência geral para o ‘garoto’

Whole Lotta Love

Sem pausa, voltam para o bis. Page toca também o theremin e sua Gibson amarela. Num agudo, Plant brinca e pede com um gesto para a plateia ‘preencher’ a lacuna de sua voz

Rock and Roll

Imagens do Led Zeppelin do passado surgem ao fundo, enquanto eles destroçam tudo. Aqui, o Led saía do palco tendo conseguido seu objetivo, segundo Plant: mostrar às novas gerações, que só ouvem falar deles, que eles eram mesmo "tudo aquilo"

 
Notícias relacionadas
Mais conteúdo sobre:
Led Zeppelin Celebration Day

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.