A inoxidável dama de ferro

Em boa forma, os veteranos do Iron Maiden incendeiam o Morumbi

Roberto Nascimento - O Estado de S. Paulo,

27 de março de 2011 | 14h05

 

Um punhado de flyers bastaria para o Iron Maiden lotar um estádio. Isto porque, mesmo sem muita atenção do mainstream, a banda inspira um compromisso quase religioso em seus fãs, que se renovam a cada geração e, de dois em dois anos, transformam arenas brasileiras em caldeirões ávidos para ouvir tanto os clássicos quanto as recentes.

 

O show de sábado à noite não foi exceção: trouxe 50 mil ao Estádio do Morumbi para presenciar a turnê (que tem outras cinco datas no País) de The Final Frontier, disco de 2010 que chegou ao topo das paradas sem aval da crítica ou campanha de marketing. Satellite 15...The Final Frontier, foi a primeira. A canção não se iguala às antigas, mas mesmo assim tinha sua letra na boca do povo. Como a maioria das novas que foram tocadas (Coming Home e El Dorado) Satellite parece uma tentativa de escrever uma canção a la Iron Maiden, feita por uma banda de metaleiros competentes.

A criatividade de riffs, os arranjos que conseguiam dar variedade a um estilo que cai facilmente na mesmice, os solos alucinantes. Tudo isso parece não vir ao Iron com tanta facilidade quanto antigamente. Com a bateria arrastada de Nicko McBrian em algumas canções e a média etária acima dos 50, a banda pode até dar a entender que a idade pesa.

 

Redondo engano. Se o Iron do estúdio não é mais o mesmo, o Iron ao vivo, quando cobre o repertório antigo, ainda ferve com a energia que permeou a brilhante discografia dos anos 80. Isto ficou nítido com Aces High e The Trooper, uma das obras primas do baixo galopante de Steve Harris. Depois de The Evil that Men Do e Hallowed Be Thy Name, o Iron já havia ganho a noite. Os agudos e vibratos operísticos de Bruce Dickinson ainda cortavam com nitidez pela multidão. O trio de guitarristas virtuosos, Adrian Smith, Janick Gers e Dave Murray, ainda fritavam seus instrumentos com toda a glória de verdadeiros ases do metal.  Além da musica, Dickinson dedicou alguns minutos do show para dar seu parecer nos eventos que tem dominado o noticiário internacional. Disse que todos os fãs, da Líbia ao Japão, são uma grande família. Poucas bandas parecem compreender isto tão bem quanto o Iron Maiden. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.