A estréia de Davi Moraes, do afoxé ao funk

Para alguns filhos de gente famosa, ter pais talentosos é padecer à sombra das comparações. Não é o caso de Davi Moraes. Filho de Moraes Moreira, Davi criou identidade própria como multiinstrumentista, principalmente com a guitarra e a bateria. É um músico de qualidade. Cresceu sob a influência dos Novos Baianos e uma legião de outros músicos.Além de formar parcerias com o pai, já participou de shows e discos de Marisa Monte, Caetano Veloso, Lenine, Daniela Mercury, Ivete Sangalo, Gilberto Gil, Arto Lindsay e outros. Atualmente, ensaia um novo passo na carreira ao lançar seu primeiro CD, Papo Macaco, pela Universal Music.É a primeira vez que o músico expõe sua faceta de cantor e compositor. Para esse trabalho de estréia, organizou, não propositalmente, um repertório diversificado, que vai do afoxé ao funk. "Pensei muito em cada uma das músicas, não no disco como um todo. Mas esse ecletismo acabou dando cara ao CD", diz. Há pelo menos dois anos, Davi se dedica à composição e gravação das músicas, entre um show e outro. "Foi um processo lento, que amadureceu com o passar do tempo."Ele assina ainda a produção do disco, com Fabiano França e Daniel Carvalho, e as composições, com Arnaldo Antunes, Carlinhos Brown, Lucas Santtana, Quito Ribeiro, Leonardo Reis e outros. A faixa de abertura do CD, Papo Macaco, de Davi Moraes e Peu Meurrahy, dá uma mostra dos experimentos e da combinação de instrumentos e sonoridades que vão permear o restante do CD. Nela, Davi uniu o carioca Júnior da Mangueira, no tamborim, e instrumentistas baianos. "Nesse álbum, quis juntar os melhores músicos."São antigos amigos. Aos poucos, Davi os foi convocando para seu primeiro álbum. "Mandei algumas músicas minhas para o Arnaldo Antunes e ele as complementou", diz. Na Massa, uma das músicas escritas pela dupla, já havia sido gravada para o CD Paradeiro, lançado por Antunes no ano passado. Durante a gravação de Paradeiro, Davi Moraes reencontrou Carlinhos Brown que, ao lado de Alê Siqueira, produzia o disco. Das cabeças pensantes de Davi, Antunes e Brown, nasceu a canção Via Lapa.Moraes Moreira também não ficou de fora do disco de seu filhote. Muito ligado ao filho, Moreira divide com ele a autoria do afoxé Papai Oxóssi. Faz ainda uma participação especial nos vocais. "Pedi para ele fazer uma ´bateria´ de boca, da mesma forma que ele fazia na época dos Novos Baianos, achei que ficou bem bacana", diz o herdeiro. Ainda criança, Davi já seguia o pai em seus shows. "O estímulo que ele me deu desde pequeno me fez querer ser músico, me incentivou a cantar."O primeiro instrumento que Davi Moraes aprendeu a tocar foi um cavaquinho, aos 4 anos. Debutou nos palcos dedilhando o choro Brasileirinho, de Valdir Azevedo. O inesperado talento do filho para o instrumento inspirou a Moraes Moreira a música Garoto Cavaquinho, do disco Tocando a Vida. Para Davi, ser filho de um músico renomado nunca chegou a ser um problema. "Muito mais contribuiu do que prejudicou. Tive oportunidade de participar das coisas muito cedo, aprendi muito com ele, sempre trocamos informações", derrete-se ele. Incomodam muito menos as especulações em torno de sua vida amorosa.Discreto, o músico traz em sua lista de conquistas belas mulheres, como Marisa Monte e Ivete Sangalo. "Isso é normal; quanto mais popular, maior é a curiosidade da imprensa e do público em torno do artista", acredita. "Não me preocupo muito com isso, porque eu tenho um trabalho forte na música."Atualmente, o carioca Davi Moraes, com 29 anos, responde por senhor Ivete Sangalo. A cantora baiana aparece no CD do namorado, engrossando o coro dos vocais nas canções Na Massa, Ça Va, Rational Culture e Eu te Adoro. "Ivete estava muito presente na fase final da gravação do CD. Ela me ajudou muito em músicas que pediam vocais, arranjos."Com o fim da turnê Noites do Norte, em que acompanha Caetano Veloso, Davi Moraes pretende investir na divulgação de Papo Macaco. Os shows devem terminar no próximo mês, quando Caetano e seus músicos percorrerão México, Estados Unidos e Canadá. As apresentações de lançamento do CD de Davi Moraes devem começar por São Paulo, Rio e Salvador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.