Mario Anzuoni/ Reuters
Mario Anzuoni/ Reuters

A dinâmica quarentena de Ringo Starr: Um disco, um livro e um pouco de pintura

'Recentemente, cancelei os shows, mas agora precisava encontrar alguma maneira de voltar a pôr isso para funcionar'

Maggy Donaldson, AFP

17 de dezembro de 2020 | 07h46

Ele marcava o ritmo de uma das bandas mais icônicas do mundo, lidera seu supergrupo há três décadas, foi duas vezes membro do salão da fama do rock: aos 80 anos, Ringo Starr continua tão enérgico como sempre.

A pandemia paralisou sua agenda de turnês, normalmente lotada. Mas o ex-Beatle se prepara para lançar um álbum desenvolvido na quarentena e, nesta quarta-feira, 16, apresenta um livro com as memórias fotográficas de sua All Starr Band.

Em 1989, recém-saído da reabilitação, Starr fundou a banda, que contou com uma ampla gama de estrelas da música. 

Sua primeira edição contou com Dr. John, Joe Walsh dos Eagles e Nils Lofgren e Clarence Clemons, que tocaram com a E Street Band de Bruce Springsteen.

"Recentemente, cancelei os shows, mas agora precisava encontrar alguma maneira de voltar a pôr isso para funcionar", disse Starr.

"Naquela época, você tinha essas pequenas agendas telefônicas tão civilizadas, e comecei a ligar para as pessoas", disse o baterista e vocalista em uma entrevista à AFP. 

"Funcionou muito bem", completou. 

Vendido exclusivamente pela casa de leilões Julien's Auctions, Ringo Rocks: 30 Years of the All Stars, conta a história da banda em constante mudança, por meio de fotos inéditas e de anedotas de Ringo.

"Trinta anos... Eu não sentei lá e disse 'Oh, cara, poderia fazer isso por 30 anos'. E teriam sido 31, se não tivéssemos essa pandemia!", disse ele, de Los Angeles, durante uma conversa por vídeo.

Starr teve duas turnês em 2020 canceladas pela crise do coronavírus, e sua festa anual de aniversário aconteceu virtualmente.

"Alguns dias, é horrível", admite o percussionista.

"Me sentava ali alguns dias e pensava: 'Quero sair! Quero abraçar as pessoas!'... Bom, o resultado disso pode ser que você morra. Então, eu também não fiz isso", acrescentou.

 

Três irmãos

Em vez disso, Ringo montou um álbum de quatro faixas em seu estúdio de casa entre abril e outubro deste ano.

"Eu adorava discos quando era criança", contou. 

O miniálbum intitulado Zoom In - "que eu achei apropriado para esta época, é tudo o que fazemos!" - apresenta colaborações com uma longa lista de grandes artistas. 

Seu single Here To The Nights, que será lançado na quarta-feira junto com as memórias fotográficas, foi escrita pela compositora Diane Warren e apresenta Walsh, Dave Grohl, Sheryl Crow, Lenny Kravitz e o próprio Paul McCartney.

"Se ele estiver na cidade e eu estiver gravando um álbum, sempre guardo uma faixa, porque sei que ele virá", disse Starr sobre seu ex-colega de banda.

"Ele é simplesmente um baixista incrível e um lindo ser humano", elogiou. 

O músico chamou a data de 8 de dezembro, aniversário da morte do também Beatle John Lennon, de "um momento de reflexão" e disse que, como filho único, foi "abençoado" por estar em uma banda.

"Tenho três irmãos que eram muito unidos", acrescentou. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.