7.º Prêmio Visa anuncia os 12 semifinalistas

Os 12 semifinalistas do 7.º Prêmio Visa de Música Brasileira - Edição Instrumental foram definidos na madrugada de ontem. Dois dos candidatos que se apresentaram na sexta e última eliminatória, anteontem no Espaço Promon, figuram entre os selecionados. São o percussionista Caíto Marcondes e o guitarrista Pablo Zumarán.Zumarán, o último a se apresentar, teve problemas técnicos e teve de tocar com o instrumento microfonado, o que não o impediu de mostrar sua desenvoltura. Com a colaboração da baterista Lílian Carmona e do contrabaixista Fábio Sá, Zumarán arrebatou a platéia e o júri (afinal, foi classificado) com sutileza e habilidade em temas variados e cheios de bossa. Encerrou o roteiro com ótima versão do samba-jazz Estamos Aí (Maurício Einhorn, Durval Ferreira e Regina Werneck). Caíto Marcondes abriu a noite tocando uma envolvente versão de Trenzinho do Caipira (Villa-Lobos) com um xilofone não tradicional, desmembrou-se por vários instrumentos simultaneamente com mãos, pés e boca e arrancou da platéia um vocalise para Carinhoso (Pixinguinha). Arrematou a seção com a cumplicidade de Mônica Salmaso numa espécie de mantra espacial, ambos tocando um intrigante instrumento metálico. Batizado de hang, assemelha-se aos discos voadores de antigos filmes de ficção científica e tem sonoridade próxima da marimba. Não menos impressionantes foram os shows dos demais. O violeiro Roberto Corrêa se apresentou sozinho com técnica e beleza de som. João Francisco Correia iniciou o set com um solo de clarineta, mas variou a formação instrumental a cada música. Ganhando reforços de violão, piano e pandeiro, terminou com Gargalhada (Pixinguinha). A primeira semifinal do Visa será no dia 21 de julho na Tom Brasil da Vila Olímpia. Para essa etapa, das quatro músicas que deverão apresentar, os concorrentes podem repetir apenas duas das executadas nas eliminatórias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.