Divulgação
Divulgação

Série Antifrágeis: Luiza Helena Trajano

Presidente do Conselho de Administração do Magazine Luiza comenta as transformações da empresa nos últimos meses

Alice Ferraz, O Estado de S.Paulo

30 de agosto de 2020 | 05h00

Nas próximas semanas, traremos aqui conversas com empresários, empreendedores e profissionais que personificam o conceito de antifrágil, como definido no livro homônimo de Nassim Taleb. “O resiliente resiste aos choques e ao tempo e permanece o mesmo, o antifrágil fica melhor. Não se protege de ataques ou mudanças bruscas, aceita como fator benéfico para aperfeiçoamento e evolução”, define o autor.

Leia Também

O antifrágil

O antifrágil

Luiza Helena Trajano, presidente do Conselho de Administração do Magazine Luiza, abre a série de textos. Uma mulher de visão e coragem que, durante seu tempo como CEO da rede varejista, teve papel ativo na criação de estratégias de inovação e expansão que resultaram na construção de um verdadeiro império, erguido de forma humanizada e consciente. “Certamente tive muito foco e determinação, mas o propósito e os valores foram o que mais me conduziram. Nunca coloquei como meta ser a primeira ou a maior, mas sim ter uma empresa em que todos entendessem ser possível ter lucro com pessoas trabalhando felizes e fazendo aos outros o que gostariam que fizessem a elas, e transformar isso em uma cultura”, comenta Luiza Helena, sobre o fio condutor de sua carreira. Atualmente, o Magazine Luiza conta com 1.113 lojas físicas, distribuídas por 819 cidades, de 21 estados do Brasil, 17 centros de distribuição espalhados pelo país e forte presença digital.

A antifragilidade humanística de Luiza Helena Trajano foi construída durante uma vida de trabalho duro na marca da família. “Saí de uma pequena loja fundada pela minha tia Luiza, na qual trabalhei nas férias escolares, assumi a superintendência, depois de passar por todos os cargos, e fui avançando em um território totalmente masculino. Era uma jovem vinda do interior, com sotaque misturado de Franca com Minas Gerais, e alcancei outros patamares movida por um propósito, que no caso da nossa família era muito claro: gerar empregos”, conta. Durante sua vida como empreendedora, Trajano sempre buscou o novo e esteve disposta a assumir riscos. Com isso, revela que aprendeu a persistir. “Insistência não quer dizer que não podemos mudar de ideias ou rumos. O empreendedor tem que persistir, mas pode errar, redirecionar rapidamente o erro e aprender com ele. É importante ouvir a todos, equipe e clientes, aprender a cada dia e agir com mentalidade de startup.”

Luiza Helena foi eleita Personalidade do Ano de 2020 pela Câmara do Comércio Brasil-Estados Unidos e é uma das empresárias brasileiras mais atuantes nas mídias sociais atualmente, hábito que se intensificou durante a pandemia. Amante de novidades, a empresária conta que sua estratégia para as mídias sociais foi a autenticidade. “Quando me desafiei a aprender a utilizar redes sociais, tive que me esforçar muito e sempre procurei ser eu mesma, não criar um personagem, mas conversar e me apresentar para as pessoas como eu sou, levando os valores da família e da empresa. Acredito que muitas pessoas acabam se identificando, o que fortalece a imagem.” Sua conta no Instagram acumula mais de 300 mil seguidores, a do LinkedIn cerca de 400 mil e no Twitter a rede da empresária está em torno de 50 mil.

“Valores”, “propósito”, “transformação”, palavras presentes no discurso de Luiza Helena que revelam sua força motriz. Durante a pandemia, a Magalu, como é chamada nos canais digitais, virou notícia por adotar ações fortemente ligadas à visão de Trajano. Logo no início da quarentena, a empresa participou da criação do movimento “Não Demita”, que reuniu mais 4 mil companhias comprometidas a não reduzir seu quadro de funcionários.

O Magazine Luiza também abriu espaço digital para pequenos e microempreendedores com a criação do “Parceiro Magalu”, que permite com que profissionais vendam seus produtos e serviços para os mais de 20 milhões de clientes da marca. Ações, que aliadas à forte presença digital da empresa, fizeram com que o Magazine Luiza crescesse em um tempo de recessão. Durante o segundo trimestre de 2020, o grupo registrou R$ 8,6 bilhões em vendas, um crescimento de 49% quando comparado ao mesmo período no ano anterior, com aumento de 182% nas vendas de e-commerce e crescimento de 214% em seu marketplace. Números que posicionam a empresa como a maior em vendas no Brasil.

Resultados que nascem da cultura empresarial da família de Luiza Helena Trajano, empresária e definitivamente antifrágil, que finaliza nossa conversa com uma dica de ouro para os meses finais do ano. “Temos que focar muito nossas energias nestes quatro meses, trabalhar com muita criatividade, pensar fora da caixa e direcionar nosso foco totalmente para o cliente, sabendo que realidades diferentes exigem atitudes diferentes. Precisamos mudar nossa mentalidade e sair do campo do problema e focar todos os nossos esforços no da solução. Isso vale para empresas de qualquer segmento e tamanho. Inovação será a palavra chave. Temos que sair desta pandemia, pessoas e empresas, melhores do que entramos.”

Tudo o que sabemos sobre:
Magazine LuizaLuiza Trajano

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.